Ficha do Filme

ÁLBUM DE FAMÍLIA

(August: Osage County, 2013)

Estrela ativa Estrela ativa Estrela ativa Estrela ativa Estrela ativa Estrela ativa Estrela ativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa

Estreia

27/12/2013

Três irmãs precisam se encontrar depois de anos separadas. Além de lidar com a mãe problemática, durona e racista Violet (Maryl Streep), elas vão ter que lidar com suas diferenças e traumas. Barbara (Julia Roberts) está lidando com o término de um casamento; Karen (Juliette Lewis) está se casando pela terceira vez e Ivy (Julianne Nicholson) ainda vive com os pais e mantém um relacionamento escondido com o primo. É daí que emergem conflitos que podem fazê-las abandonar o convívio familiar para sempre.

7
Nota do Público

Vote

COMPARTILHE:

FICHA TÉCNICA

Gênero: Drama

Direção: John Wells

Roteiro: Tracy Letts

Elenco: Abigail Breslin, Benedict Cumberbatch, Chris Cooper, Dermot Mulroney, Ewan McGregor, Julia Roberts, Julianne Nicholson, Juliette Lewis, Margo Martindale, Meryl Streep, Misty Upham, Sam Shepard

Produção: George Clooney, Grant Heslov, Harvey Weinstein

Fotografia: Adriano Goldman

Montador: Stephen Mirrione

Trilha Sonora: Gustavo Santaolalla

Duração: 121 min.

Ano: 2013

País: Estados Unidos

Cor: Colorido

Estreia: 27/12/2013 (Brasil)

Distribuidora: Imagem Filmes

Estúdio: The Weinstein Company

Classificação: 12 anos

Informação complementar: Baseado na peça de teatro de mesmo nome escrito por Tracy Letts vencedora dos prêmios Pullitzer e Tony.

IMAGENS

CRÍTICA

por Cristina Tavelin

"A vida é muito longa", diria T.S. Eliot ou qualquer outro que tenha vivido o suficiente. Sean Shepard começa Álbum de Família com essa questão sobre o tempo, a repetição inerente à sua passagem e sensação de estafa que o escritor colocou no papel. O filme será mais pesado do que aparenta, prepare-se. Em meio ao calor das risadas, existe uma escuridão brutal à espreita nesse texto de teatro de Tracy Letts, adaptado ao cinema sob a direção de John Wells (A Grande Virada).

Percebemos como tudo ruiu ao redor de Beverly Weston numa casa coberta por sombras e pelo passado. Ele, coberto pelos anos como alcoólatra, se refugia nos livros. Logo surge outra estrela para contracenar com o ator: a mais uma vez impecável Meryl Streep desce cambaleando pelas escadas.

Sua personagem, Violet, está destruída por um câncer, dezenas de pílulas e loucura. Cabelos raspados, expressão quase desesperada se sustentando numa ironia insuportável. Fica claro que a atriz vai roubar a cena. Mais uma vez. Somos apresentados à decadência da personagem, mas também a seu humor impecável.

Quando Shepard some, a trama ganha ritmo na medida em que as filhas do casal – Ivy (Julianne Nicholson), Karen (Juliette Lewis) e Barbara (Julia Roberts) - vão à casa dos pais em Oklahoma para tentar encontrá-lo. As três mantém o mesmo nível alto de interpretação visto no início, com destaque para a Linda Mulher já veterana. 

Num clima de novela, muitos segredos rondam essa família e parte das revelações acontece na longa cena da sala de jantar: um barraco com classe muito bem bancado pelas grandes atuações e diálogos de um humor negro terrível. As risadas se alternam com momentos de constrangimento para as personagens e Violet e Barb acabam esse take se estapeando no chão. A interação entre Julia Roberts e Merly Streep rende momentos memoráveis.

Quente e ensolarada, a fotografia da estrada pra Oklahoma dá o tom do longa, onde o calor incomoda e sufoca o tempo inteiro. A casa repleta de sombras, lugar no qual a luz não é bem-vinda, provoca um contraste marcante com o ambiente externo; contraste este que expressa-se tanto no nível estético quanto no das emoções.

Da metade para o fim, o clima tenso fica mais evidente. Para suportar essa vida tão longa pode-se contar com a ajuda dos parentes, certo? Não para Ivy, num dos discursos mais certeiros do filme dirigido às outras duas irmãs. Nunca houve intimidade entre as três, por que contar com elas? Pra que manter laços tão artificiais? A realidade incomoda, fato. Aos poucos percebe-se o emaranhado emocional passado de geração em geração numa família onde a ausência se instalou e os silêncios falam mais alto.

Álbum de Família peca no exagero das cenas novelescas, em personagens eloquentes demais - como a espalhafatosa Mattie Fae - e na trilha sonora sempre dando apoio às cenas. Mas a apresentação de uma história áspera e dramática por meio da grande interpretação das protagonistas termina por revelar um longa fascinante.

Prêmios e Indicações

2014

>> Oscar: Indicado na categoria Melhor Atriz (Meryl Streep)

>> Oscar: Indicado na categoria Melhor Atriz Coadjuvante (Julia Roberts)

COMENTAR

comments powered by Disqus
Parceiro R7