Críticas

Veja o que esperar das novidades nas telonas e estreias com os comentários da nossa equipe especializada.

OUTBACK - UMA GALERA ANIMAL

(The Outback, 2012)

Estrela ativa Estrela ativa Estrela ativa Estrela ativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa
13/08/2012 12h00
por Antoniela Canto
Quando a gente pensa em filmes de animação, logo lembramos das produções realizadas pela Pixar, como Procurando Nemo, Carros, Toy Story, Up – Altas Aventuras, Ratatouille e tantos outros sucessos de bilheteria, público e crítica.

Uma coisa é certa: o estúdio aumentou o grau de exigência dos espectadores ao redor do mundo. Capricham na execução dos roteiros, trabalham com os melhores designers, são impecáveis no desenho de produção e criação de personagens, cenários, movimentos corporais, expressões faciais, ritmo e dinâmica narrativa.

Outback – Uma Galera Animal é uma animação da Coreia do Sul que fica aquém de toda a perfeição e riqueza de detalhes que nos habituamos a ver nos produtos norte-americanos. Não que o filme seja mal feito, longe disso, mas para os padrões a que fomos acostumados, deixa a desejar.

Na história, o simpático Jonnhy, um coala albino, é rejeitado por seu bando e foge desolado. No caminho, encontra Hamish, um demônio da tazmânia interesseiro, e Higgens, um macaco fotógrafo. Hamish e Higgens convencem Johnny a se juntar à trupe de um parque de diversões itinerante. Tentando se tornar a atração principal, o Coala e seus novos amigos se metem em confusões e se veem obrigados a salvar uma pequena população de coalas, cangurus e outros bichos de Bog, um terrível crocodilo que quer tomar conta do pedaço.

O filme abusa de formulas conhecidas no gênero: sequências de ação, bichos com personalidade humana - engraçados e irônicos, garantindo a simpatia do público - e, claro, não falta também o momento “coreografia da bicharada” com música conhecida. Aqui, a escolhida foi Down Under, homenageando a banda australiana Men At Work.

Outback – Uma Galera Animal conta com as vozes de Rob Schneider, como o coala Jonnhy, e Alan Cumming na pele do malvado crocodilo Bog.

Resumindo: se tiver alguma criança em casa e quiser um pouco de diversão, vá ao cinema sem medo, mas não espere assistir a algo parecido com Madagascar.

FAVORITAR

crítica NÃO FAVORITADA

COMPARTILHE:

COMENTAR

comments powered by Disqus
Parceiro R7