Ficha do Filme

JOÃO E MARIA: CAÇADORES DE BRUXAS

(Hansel and Gretel: Witch Hunters, 2012)

Estrela ativa Estrela ativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa

DVD

BLU-RAY

Estreia

25/01/2013

Depois de pegarem um gostinho por sangue quando crianças, João (Jeremy Renner) e Maria (Gemma Arterton) se tornaram vigilantes extremos, determinados a defender seu povo. Agora, sem que eles saibam, João e Maria passam a ser a caça e têm de enfrentar um mal muito maior do que as bruxas: seu passado.

7
Nota do Público

Vote

COMPARTILHE:

FICHA TÉCNICA

Gênero: Ação

Direção: Tommy Wirkola

Roteiro: Dante Harper, Tommy Wirkola

Elenco: Alea Sophia Boudodimos, Alessija Lause, Cedric Eich, Christian Rubeck, Derek Mears, Famke Janssen, Gemma Arterton, Ingrid Bolsø Berdal, Isaiah Michalski, Jason Oettle, Jeppe Laursen, Jeremy Renner, Joanna Kulig, Lena Gutschank, Lucy Ella von Scheele, Monique Ganderton, Peter Stormare, Pihla Viitala, Stig Frode Henriksen, Thomas Mann, Thomas Scharff, Vanessa Wieduwilt, Wolfgang Lindner, Zoe Bell

Produção: Adam McKay, Beau Flynn, Chris Henchy, Kevin J. Messick, Will Ferrell

Fotografia: Michael Bonvillain

Trilha Sonora: Atli Örvarsson

Duração: 83 min.

Ano: 2012

País: Estados Unidos

Cor: Colorido

Estreia: 25/01/2013 (Brasil)

Distribuidora: Paramount Pictures Brasil

Estúdio: Gary Sanchez Productions / Metro-Goldwyn-Mayer (MGM) / Paramount Pictures / Siebzehnte Babelsberg / Spyglass Entertainment

Classificação: 14 anos

EXTRAS

Sem extras
- Formato de tela: Widescreen Anamórfico 16x9
- Áudio: Inglês, Espanhol e Português
- Legendas: Inglês, Espanhol e Português
- Reinventando João e Maria
- A Hora das Bruxas
- Apresentando Edward, o Troll
- Formato de tela: Widescreen Anamórfico 16x9
- Áudio: Inglês, Espanhol, Português e Francês
- Legendas: Inglês, Espanhol, Português e Francês

IMAGENS

CRÍTICA

por Daniel Reininger

Admito que a premissa de João e Maria: Caçadores de Bruxas chamou minha atenção. Colocar os dois jovens sobreviventes em busca de vingança contra seres que quase tiraram suas vidas parecia uma boa ideia.

Quando descobri que o filme seria para adultos, com direito a muito sangue e cenas de nudez, a animação aumentou. Entretanto, os trailers começaram a me preocupar e o desapontamento completo aconteceu já nos primeiros minutos de exibição, quando constatei que seria difícil aguentar 90 minutos daquilo.

Pois é amigo, a moda de pegar boas histórias (todos conhecem o conto de João e Maria dos irmãos Grimm, certo?) e transformá-las em filmes de ação não está mesmo funcionando. Branca de Neve e o Caçador e Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros já foram torturantes, e olha que o último foi inspirado num livro bem recebido pela crítica literária; e a nova versão de João e Maria segue o mesmo padrão de qualidade e isso não é bom.

Quando você usa personagens clássicos e os tira de seu lugar comum, o mínimo que se espera é que se fuja dos clichês, mas o filme faz o exato oposto, resultando numa trama fraca que gira em torno da procura por 12 crianças desaparecidas. É claro que a relação dos irmãos com bruxas não é pura coincidência, é obvio que sua mãe tem algo a ver com os eventos enfrentados por eles, a raiva que sentem pelo abandono de seus pais é injustificada e por aí vai.

Embora filmes óbvios e bobos sejam capazes de divertir, aqui nada funciona. A direção de arte é uma bagunça, a trilha sonora é mal utilizada, as cenas de combate são péssimas e os dois caçadores mais parecem amadores do que os profissionais que deveriam ser. Para piorar, as maquiagens das bruxas são exageradas e tiram a atenção do espectador do que realmente importa.

Os problemas não param por aí. Filme de ação que dá vontade de dormir é imperdoável. Falta imaginação para as cenas de combate e o humor podia ter sido muito melhor utilizado. Até parece que o diretor Tommy Wirkola (Zumbis na Neve) tenta seguir os passos de Uwe Boll (Em Nome do Rei) na arte de destruir boas histórias.

Nem os efeitos visuais salvam alguma coisa e a imersão acaba de vez quando você percebe como os cenários são artificiais, quase como se fossem brinquedos de parques de diversões, mesmo problema de Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros. Seria algo intencional para esse subgênero? Só pode.

É triste constatar ainda que Jeremy Renner (Os Vingadores) se esforça para seguir os passos de Nicolas Cage (A Lenda do tesouro Perdido), com filmes bizarros e atuações inconsistentes. Já a bela Gemma Arterton (Príncipe da Pérsia) exagera ao tentar parecer sexy e bad ass na telona – ela já é linda e podia segurar um pouco a onda. Os protagonistas não estão bem, mas pior estão Famke Janssen (X-Men), uma vilã apática e sem presença na tela, e Peter Stormare (Armageddon), que nunca considerei bom ator, e mantém a mediocridade habitual ao estragar toda cena em que aparece.

Sem inspiração alguma, João e Maria: Caçadores de Bruxa é uma obra sonolenta, criada como diversão para adultos, mas que falha em sua proposta. O potencial era enorme, tivesse seguido algum caminho mais consistente, como o do Steampunk, e fugido do hábito de Hollywood de fazer ligações improváveis entre os acontecimentos e os protagonistas. Ainda assim, é um bom passatempo para ver com os amigos comendo pipoca e rindo da vergonha alheia.

COMENTAR

comments powered by Disqus
Parceiro R7