Ficha do Filme

LAUREL CANYON - RUA DAS TENTAÇÕES

(Laurel Canyon, 2002)

Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa

DVD

Laurel Canyon é uma rua do centro de Hollywood. Lá vive a veterana produtora de discos Jane (Frances McDormand), uma mãe que foge dos padrões impostos pela sociedade. Seu cotidiano se resume a trabalho, música, bebidas, sexo e drogas. Quando o filho Sam (Christian Bale), formado em medicina pela universidade de Harvard, vai com a noiva Alex (Kate Beckinsale) visitá-la, o casal não se sente bem com o estilo de vida de Jane, já que são conservadores. Até que Alex se deixa seduzir pelos roqueiros, pelas músicas, drogas, e até mesmo pela sogra.

Vote

COMPARTILHE:

FICHA TÉCNICA

Gênero: Drama

Direção: Lisa Cholodenko

Roteiro: Lisa Cholodenko

Elenco: Alessandro Nivola, Christian Bale, Frances McDormand, Kate Beckinsale, Lou Barlow

Produção: Jeffrey Levy-Hinte, Susan A. Stover

Fotografia: Wally Pfister

Trilha Sonora: Craig Wedren, Mark Linkous

Duração: 103 min.

Ano: 2002

País: França

Cor: Colorido

IMAGENS

CRÍTICA

por Celso Sabadin

Sam (Christian Bale, de Psicopata Americano) e Alex (Kate Beckinsale, de Pearl Harbor) formam um casal pra lá de careta. Ele, residente de Medicina, e ela, estudante cdf, estão prestes a se casar. Antes, porém, ambos se mudam para Hollywood, onde pretendem passar uma temporada na casa de Jane (Frances McDormand, de Fargo), mãe de Sam, uma veterana produtora de discos que curtiu a loucura dos anos 60 e 70 em toda a sua plenitude. E pelo jeito ainda curte: entre festas na piscina, gravações que entram pela madrugada, sexo, drogas e rock-n'-roll, o lugar onde Jane vive é - literalmente - a casa da sogra.

Dramaturgicamente falando, a situação - clássica - é das mais conhecidas: estilos de vida opostos que a princípio se rechaçam, mas com o tempo aprendem lições de tolerância, troca e convivência. Um tema rotineiro roteirizado de maneira burocrática e dirigido de forma fria por Lisa Cholodenko. Praticamente não há emoção. O espectador escolado em cinema simplesmente mata a charada nas primeiras cenas e depois fica aguardando o previsível desfecho por mais de uma hora e meia. Frio.

COMENTAR

comments powered by Disqus
Parceiro R7