Ficha do Filme

TAINÁ, UMA AVENTURA NA AMAZÔNIA

(Tainá, uma Aventura na Amazônia, 2000)

Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa Estrela inativa

DVD

Tainá, uma pequena índia de oito anos, vive em um paradisíaco recanto do Rio Negro, na Amazônia. Ela mora com seu avô e mestre Tigê, um sábio índio que ensina lendas de seu povo. À medida que aprende a amar e respeitar a natureza, Tainá vai se tornando uma guardiã da floresta, desarmando armadilhas montadas por caçadores. Mas estes inimigos começam a persegui-la e ela se muda para um vila, onde conhece Joninho, um menino da cidade grande que tem medo dos bichos e só gosta de jogos eletrônicos. Com a amizade que se estabelece entre os dois, eles aprendem a lidar com os valores desses dois mundos: o da cidade e o da floresta.

Vote

COMPARTILHE:

FICHA TÉCNICA

Gênero: Aventura

Direção: Sérgio Bloch, Tania Lamarca

Roteiro: Cláudia Levay, Reinaldo Moraes

Elenco: Beth Erthal, Branca de Camargo, Caio Romei, Eunice Baia, Jairo Mattos, Ruy Polanah

Produção: Pedro Carlos Rovai

Fotografia: Marcelo Corpanni

Trilha Sonora: Luiz Avellar

Duração: 90 min.

Ano: 2000

País: Brasil

Cor: Colorido

Estúdio: Tietê Produções Cinematográficas

Classificação: Livre

CRÍTICA

por Celso Sabadin

A aventura infanto-juvenil Tainá estréia nacionalmente neste fim de semana já com um belíssimo número para comemorar: antes mesmo de seu “real” lançamento, o filme já foi visto por mais de 400 mil pessoas.

Explicando melhor: em exibições em festivais e pré-estréias especiais, Tainá obteve 117 mil espectadores pagantes e outros 65 mil em exibições promocionais gratuitas para estudantes. Além disso, o filme já teve, em abril passado, uma espécie de “pré-lançamento” em sete cidades, onde alcançou um público de 234 mil pessoas.

Agora, com o lançamento efetivamente nacional (120 salas distribuídas em 89 cidades brasileiras), espera-se que Tainá supere a expressiva marca de um milhão de pagantes. O filme tem méritos e qualidades para isso.

A história gira em torno de Tainá (a expressiva e carismática Eunice Baía), uma indiazinha órfã de oito anos, que vive com o avô às margens do Rio Negro. Defensora da natureza, a garota passa os dias desarmando armadilhas e libertando pequenos animais da floresta. Até que um dia ela se depara com a quadrilha de Shoba (Alexandra Zachia), um inescrupuloso traficante de animais. Tendo como ajuda apenas seu macaquinho Catu e seu amigo branco Joninho (Caio Romei, divertido), Tainá vai tentar impedir a ação dos bandidos, metendo-se numa série de confusões típicas dos filmes estilo Sessão da Tarde.

Tainá tem tudo para agradar aos públicos infantil e infanto-juvenil, sem aborrecer os adultos. O filme é ágil, dinâmico, bem montado e traz belíssimas imagens da Amazônia, muito bem fotografadas por Marcelo Corpanni. Os diálogos são divertidos e a escolha da estreante Eunice Baía para o papel título (uma indiazinha de verdade) mostrou-se das mais acertadas, dando mais veracidade e credibilidade à história.

No Festival de Gramado do ano passado, o filme foi exibido para uma platéia de estudantes que riram, vibraram e aplaudiram durante o tempo todo. Ótimo sinal. Entre os adultos presentes na sessão, prevalecia o comentário – até certo ponto bastante preconceituoso – de que a produção era tão boa “que nem parecia filme brasileiro”.

Tainá marca uma verdadeira “volta por cima” da diretora Tânia Lamarca, que se recupera assim de seu filme anterior, o fracasso Buena Sorte, que sequer chegou a estrear nacionalmente. Tânia assina a concepção final de Tainá e divide a direção com Sérgio Bloch. Destaque especial para a empolgante trilha sonora de Luiz Avellar, executada pela Orquestra Petrobras Pró-Música.

Tainá ganhou os prêmios de Melhor Filme no Festival BR 2000, melhor filme e melhor fotografia no Festival de Natal e melhor fotografia no 5º Brazilian Film Festival of Miami.

25 de junho de 2001
____________________________________________
Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rede Bandeirantes de Televisão, Canal 21, Band News e Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. celsosabadin@cineclick.com.br

Prêmios e Indicações


» Vencedor do Festival do Rio BR.

COMENTAR

comments powered by Disqus
Parceiro R7