8 MILE - RUA DAS ILUSÕES

8 MILE - RUA DAS ILUSÕES

(8 Mile)

2002 , 115 MIN.

16 anos

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Curtis Hanson

    Equipe técnica

    Roteiro: Curtis Hanson

    Produção: Brian Grazer, Curtis Hanson, Jimmy Iovine

    Fotografia: Rodrigo Prieto

    Trilha Sonora: Dr. Dre, Eminem, Jay-Z, Kid Rock, Xzibit

    Elenco

    Brittany Murphy, Eminem, Eugene Byrd, Kim Basinger, Mekhi Phifer, Omar Benson Miller, Taryn Manning

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Cada geração tem o Saturday Night Fever que merece. Se nos coloridos anos 70 Tony Manero se enfeitava de luzes para bilhar nas pistas de uma discoteca e esquecer suas picuinhas familiares, neste sombrio início de milênio o sonho dos jovens socialmente deslocados (não confundir com descolados) é bem outro. Escuro e dark. Sai a disco, entra o rap. E o significado do verso "staying alive" muda radicalmente de sentido.

    Assim, 8 Mile - Rua das Ilusões pode ser considerada uma releitura melancólica de Os Embalos de Sábado à Noite, já que a estrutura da trama é muito similar. O jovem Rabbit (o rapper Eminem, estreando bem como protagonista no cinema) é um rapaz branco, que mora num trailer com sua mãe (Kim Basinger) e sua irmã menor. Rapper de primeira qualidade e com um grande talento para improvisar as letras, Rabbit se sente um peixe fora d'água na decadente e violenta vizinhança negra, na periferia de Detroit. Seu único trampolim possível para deixar a marginalidade seria a música.

    Parece clichê? E é mesmo. 8 Mile - Rua das Ilusões repete o antigo tema da redenção através da arte sem adicionar nenhuma dose de inovação ou criatividade a tudo o que já foi feito antes neste sentido. É preciso ser muito fã de Eminem para não bocejar durante as quase duas horas de projeção, que ficam bem mais longas para os não iniciados no rap. É como se fosse um imenso comercial de "diga não às drogas", com um agravante: as letras e as rimas das músicas, que podem soar engenhosas em inglês, perdem muito quando transpostas para o português. E nem poderia ser diferente. Dá para imaginar, por exemplo, alguém legendando em inglês um duelo musical entre repentistas nordestinos? Esperava-se muito mais deste novo trabalho do diretor Curtis Hanson, que encantou as platéias em Los Angeles, Cidade Proibida.

    19 de março de 2003.

    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus