A ÁRVORE DA VIDA (1998)

A ÁRVORE DA VIDA (1998)

(Derakht-E-Jan)

1998 , 90 MIN.

10 anos

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Farhad Mehranfar

    Equipe técnica

    Roteiro: Farhad Mehranfar

    Produção: Mohammad Reza Sarhangi

    Fotografia: Nader Massooni

    Trilha Sonora: Nasser Shokraei

    Estúdio: IRIB Channel 2

    Elenco

    Adeleh Shakoori, Anis Shakoori, Horieh Kohansal, Jian Amir Rezvani, Omid Amiri

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Quem gostou da bela história de amor contada por meio das linhas de um tapete - retratada no filme iraniano Gabbeh -, com certeza, vai gostar da poética visão das estações do ano, sob o prisma de uma árvore, no também iraniano A Árvore da Vida.

    O filme é um poema, uma pequena obra de arte que deve ser conferida por quem busca uma opção de grande sensibilidade na telona. O tema é o mais básico e abrangente possível: o ciclo da vida. Universal e fascinante.

    As primeiras cenas já dão a dimensão que não estamos diante de “apenas mais um filme iraniano”. As imagens são fortes e marcantes. Simbólicas. Tudo começa num inverno rigoroso, debaixo de uma árvore, onde vida e morte se confrontam de forma violenta. Uma mulher acaba de dar à luz a um menino, ao mesmo tempo em que caçadores tingem a neve com o sangue dos animais abatidos. Logo se percebe que a mulher e seu filho recém-nascido fazem parte de um grupo de camponeses cujas vidas dependem do ciclo natural da existência. Árvores, folhas, animais, flores... Tudo se transforma em vida pelas mãos dos camponeses. Os caçadores, porém, buscam a sobrevivência por meio da destruição e da devastação. Está formado o eterno paradoxo humano, em que as pessoas necessitam da morte para continuar a viver.

    Neste cenário de fábula, a mãe do menino vai narrar a história do amor proibido que o gerou. E o espectador vai ser brindado com cenas de extrema beleza, onde as cores explodem em profusão.

    Este é apenas o segundo longa-metragem de Farhad Mehranfar (o primeiro é Paper Airplanes, inédito no Brasil), mas mesmo assim o cineasta já demonstra uma notável maturidade cinematográfica. Os planos são construídos com precisão artesanal, o impacto das imagens é vigoroso e a utilização das cores e das luzes impressiona pela beleza plástica.

    Árvore da Vida é um filme iraniano que pode agradar até mesmo a quem costuma não gostar de filmes iranianos.

    20 de fevereiro de 2001
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista especializado em cinema desde 1980. Atualmente é crítico de cinema da Rede Bandeirantes de Rádio e Televisão e do Canal 21. Às sextas-feiras é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus