A COLHEITA DO MAL

A COLHEITA DO MAL

(The Reaping)

2006 , 110 MIN.

Gênero: Terror

Estréia: 20/04/2007

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Stephen Hopkins

    Equipe técnica

    Roteiro: Brian Rousso, Carey W. Hayes, Chad Hayes

    Produção: Herb Gains, Joel Silver, Robert Zemeckis, Susan Downey, Susan Levin

    Fotografia: Peter Levy

    Trilha Sonora: Philip Glass

    Estúdio: Dark Castle Entertainment

    Elenco

    Adrian Tridel, Andrea Frankle, Anna Sophia Robb, Burgess Jenkins, David Jensen, David Morrissey, Hilary Swank, Idris Elba, Lara Grice, Maggie Eldred, Samuel Garland, Stuart Greer, William Ragsdale

  • Crítica

    20/04/2007 00h00

    Alguns grandes nomes de Hollywood costumam ter em seus currículos filmes que não estão à altura de seus talentos. A Colheita do Mal com certeza não é o pior filme estrelado por Hilary Swank e também não será o último ruim de sua carreira. O longa tem um argumento criativo que poderia ter sido muito bem aproveitado, mas isso não foi feito.

    Hilary Swank é Katherine Winter, uma ex-missionária cristã que perdeu sua fé depois que sua família foi brutalmente assassinada durante trabalho voluntário no Sudão. Por causa de sua descrença, Katherine passa a desvendar milagres com o auxílio da ciência, tornando-se mundialmente famosa. Ela é chamada para investigar estranhos acontecimentos em uma pequena cidade da Louisiana, curiosamente chamada Haven (um trocadilho com a palavra heaven que em inglês significa paraíso). Após a morte de um garoto na beira do rio, as águas do mesmo ficaram vermelhas como sangue, fazendo com que a cidade inteira culpasse uma pequena garota chamada Loren (AnnaSophia Robb), irmã da vítima. A população está associando a morte com as sete pragas do antigo Egito descritas na Bíblia. Para lutar contra esses estranhos acontecimentos, Katherine terá de buscar sua fé perdida.

    Os poucos momentos de tensão e os sustos são criados por meio de diversos clichês como pessoas que aparecem de repente, trilha sonora apropriada criando um certo clima de suspense ou mesmo a pequena Loren interpretada com os cabelos no rosto, tendendo aos filmes de horror japoneses. Apesar de todos esses elementos, A Colheita do Mal jamais pode ser considerado um filme de terror, mesmo por que não causa medo algum, já que o formato e desenvolvimento do roteiro aproxima-se do gênero suspense.

    Seu maior destaque é realmente a atuação da atriz Hilary Swank - vencedora de dois Oscars de Melhor Atriz por Meninos Não Choram (2000) e Menina de Ouro (2005) - que, depois de ter tentado interpretar uma mulher fatal em Dália Negra, pareceu estar à vontade com este personagem. Porém, o roteiro escrito por Caren e Chad Heyes, baseado em livro de Katherine Paterson, e a direção de Stephen Hopkins (Sob Suspeita) são fraquíssimos e não contribuíram para o talento que tinham à disposição. Nem mesmo a pequena AnnaSophia Robb (Ponte para Terabítia) consegue espaço para desenvolver seu misterioso personagem.

    A Colheita do Mal é o típico filme que seria lançado diretamente para locadora, caso não tivesse o marcante nome de Hilary Swank no elenco.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus