A COMILANÇA

A COMILANÇA

(La Grande Bouffe)

1973 , 125 MIN.

18 anos

Gênero: Comédia

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Marco Ferreri

    Equipe técnica

    Roteiro: Francis Blanche, Marco Ferreri, Rafael Azcona

    Produção: Vincent Malle

    Fotografia: Mario Vulpiani, Pasquale Rachini

    Trilha Sonora: Philippe Sarde

    Elenco

    Andréa Ferréol, Marcello Mastoianni, Michel Piccoli, Philppe Noiret, Ugo Tognazzi

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Volta a ser exibido – agora em cópias novas – o polêmico filme que escandalizou as platéias em 1973: A Comilança, do genial italiano Marco Ferreri. A trama fala de quatro amigos que decidem se instalar numa velha mansão abandonada com um único objetivo: comer. E muito! O mais possível! Comer para expurgar todos os males da vida.

    A partir daí, é fácil perceber que A Comilança é um filme que não faz questão nenhuma de ser agradável ao grande público. Mesmo porque se comer em excesso já é um tema que dá origem a cenas das mais nauseantes, imagine então o que vem depois disso tudo.

    A orgia do filme não se limita ao aspecto gastronômico. Em meio à comilança, o piloto de aviões Marcello decide que tudo ficaria melhor se algumas mulheres também fossem convidadas para fazer parte da festa. E neste ponto do roteiro os excessos digestivos e os sexuais se misturam de forma praticamente indivisível.

    A Comilança não é um filme “pesado para a sua época”. Pelo contrário: ele continua mantendo o seu poder de chocar. Escatológico, escancarado, sem nenhum tipo de sutileza e beirando o pornográfico, o filme tem a vantagem de ter obtido da crítica o rótulo de “artístico”, graças à direção do sempre polêmico (e ao mesmo tempo respeitado) Marco Ferreri. Mas não há como negar que – neste caso – o limite entre a arte e a pura apelação é muito tênue.

    Passar mais de duas horas entre cenas escatológicas e desagradáveis tem, contudo, a sua recompensa: ver, juntos, quatro gigantescos atores europeus em marcantes interpretações. São eles Michel Picolli, Marcello Mastroianni, Ugo Tognazzi e Phillipe Noiret. Um encontro que vale o preço do ingresso.

    21 de junho de 2001
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rede Bandeirantes de Televisão, Canal 21, Band News e Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus