A GUERRA DOS VIZINHOS

A GUERRA DOS VIZINHOS

(A Guerra dos Vizinhos)

2009 , 89 MIN.

16 anos

Gênero: Comédia

Estréia: 24/09/2010

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Rubens Xavier

    Equipe técnica

    Roteiro: Rubens Xavier

    Produção: Fernando Andrade

    Fotografia: Ulrich Burtin

    Estúdio: XR2 Cine Vídeo LTDA

    Distribuidora: Raiz Distribuidora

    Elenco

    Ângela Dip, Arlete Montenegro, Eva Wilma, Fabiula Nascimento, Francarlos Reis, Gero Pestalozzi, Karin Rodrigues, Natan Vargas, Tony Correia, Vera Mancini, Vic Militello, Wandi Doratiotto

  • Crítica

    18/09/2010 12h28

    Ainda que muito timidamente, fala-se nos bastidores da produção cinematográfica do país de um suposto "Cinema Popular Brasileiro". Ou seja, um cinema sintonizado com o gosto do grande público, de temas populares, porém bem realizado, bem produzido. Ou, em outras palavras, um cinema que não precisa ser tosco para arrecadar grandes bilheterias.

    Pessoalmente, gosto muito da idéia. Porém, acredito que a discussão seja outra: mesmo que o Brasil consiga criar uma vertente neste sentido, quem iria assistir a estes filmes populares, se todo o circuito exibidor faz o máximo para elitizar a entrada do público em suas salas? As salas de exibição se concentram cada vez mais em shopping centers que afugentam e até constrangem a presença das grandes platéias, e os ingressos já superam a barreira dos R$ 20. O 3D chegou forte para aumentar ainda mais o fosso social que separa a grande massa da nossa população dos prazeres de um filme projetado em tela grande.

    Toda esta introdução me veio à cabeça antes de escrever a critica do filme brasileiro A Guerra dos Vizinhos justamente por esta distorção de mercado: o diretor estreante Rubens Xavier até que conseguiu fazer uma comédia de linguagem bem popular, de humor raso e escrachado, e sem apelar para baixarias desagradáveis ou escatológicas.

    De roteiro frágil e narrativa simplória, é verdade, mas não eram assim os grandes sucessos da Atlântida, por exemplo? O problema é que os brasileiros de classes menos abastadas, que nos anos 40 e 50 faziam filas gigantescas para ver este "Cinema Popular Brasileiro", hoje não têm poder aquisitivo para levar a família aos caríssimos multiplex com suas pipocas de preços extorsivos. Ou seja, A Guerra dos Vizinhos pode ser o filme certo no momento errado.

    A ação é ambientada nos anos 80, num bairro de classe média qualquer, de uma cidade brasileira qualquer. De um lado do muro, Nenê (o ator português Tony Correia) e a esposa Marysa (Angela Dip) abrem uma pequena oficina mecânica na garagem de casa. As vizinhas – três solteironas mal humoradas capitaneadas pela intolerante personagem de Eva Wilma – não suportam o barulho causado pela oficina e partem para a retaliação. Aos poucos, outros elementos vão se incorporando à trama, para tornar a relação entre os vizinhos totalmente insustentável.

    O humor de A Guerra dos Vizinhos busca a identificação popular. Um caminho traiçoeiro que flerta com o popularesco, trabalha com atuações no registro da caricatura, e isola a sutileza a quilômetros de distância. Do jeito que o povo gosta e a crítica detesta. Afinal, o casal protagonista só consegue o auge do desempenho sexual ao som de partidas de futebol narradas pelo locutor Sílvio Luiz. É ou não é o máximo? No subtexto está a eterna busca – típica do nosso povo – pela independência econômica sem a incômoda presença de patrões, e a incurável inveja - não menos típica - contra o semelhante que o consegue. Como já disse Tom Jobim, não há nada que um brasileiro mais deteste que ver outro brasileiro ganhando dinheiro.

    O diretor Rubens Xavier fez escola com João Baptista de Andrade. Foi assistente de produção de O Homem Que Virou Suco, e assistente de direção de Veias e Vinhos e O Tronco, todos do mesmo diretor. Provavelmente mereça um roteiro mais inspirado numa próxima oportunidade.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus