À MARGEM DO CONCRETO

À MARGEM DO CONCRETO

(À Margem do Concreto)

2006 , 85 MIN.

12 anos

Gênero: Documentário

Estréia: 02/03/2007

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Evaldo Mocarzel

    Equipe técnica

    Roteiro: Evaldo Mocarzel, Marcelo Moraes

    Produção: Zita Carvalhosa

    Fotografia: Jorge Bodanzky

  • Crítica

    02/03/2007 00h00

    O documentarista Evaldo Mocarzel continua produzindo a todo vapor. Não muito tempo após o lançamento do filme Do Luto à Luta, no qual documenta parte dos problemas que atingem os portadores da Síndrome de Down, Mocarzel retoma agora o tema dos excluídos sociais e lança À Margem do Concreto. Mas vale a ressalva: a velocidade da produção do cineasta é muito maior que a velocidade da exibição do circuito brasileiro. Pronto desde 2005, só agora À Margem do Concreto ganha as telas. Antes tarde do que nunca.

    À Margem do Concreto acompanha o movimento dos sem-teto do centro da cidade de São Paulo, enfocando a atuação de várias lideranças que promovem atos de ocupação na região. A polêmica é inevitável: se por um lado há quem diga que os atos são uma forma de fazer justiça com as próprias mãos, por outro sempre haverá os que se aproveitam da situação para fazer política. Ou politicagem. A discussão é interminável e não faz parte da proposta do cineasta esgotar num único filme um assunto tão inesgotável. Sua câmera está ali apenas para o registro - muitas vezes violento - do que se passa nos bastidores do movimento. Pela boca dos invasores, a imprensa também é criticada duramente. Uma moradora de rua, por exemplo, reclama que os jornais chamam as ações do movimento de "invasão", quando o termo correto deveria ser "ocupação". E arremata: "É igual a História do Brasil: todo mundo fala que Cabral descobriu o País, quando na verdade ele invadiu, tomando tudo dos índios". Uma palavra muda tudo.

    O filme é o segundo de uma tetralogia que o cineasta promete dedicar ao tema da exclusão. O primeiro, À Margem da Imagem, foi uma espécie de batismo de fogo de Mocarzel, que naquele momento abandonava a carreira de jornalista para se dedicar integralmente à de cineasta. O terceiro será À Margem do Lixo o último, À Margem do Consumo. Ambos ainda estão em fase de projeto.

    À Margem do Concreto ganhou Prêmio do Público, Especial de Júri e Melhor Som no Festival de Brasília de 2005. Também foi escolhido como o Melhor Documentário na Jornada Internacional da Bahia e nos Festivais do Rio e Belém.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus