Pôster A Odisseia dos Tontos

A ODISSEIA DOS TONTOS

(La odisea de los giles)

2019 , 116 MIN.

12 anos

Gênero: Aventura

Estréia: 31/10/2019

página inicial do filme
  • Onde assistir

    Programação

  • Ficha técnica

    Direção

    • Sebastián Borensztein

    Equipe técnica

    Roteiro: Eduardo Sacheri, Sebastián Borensztein

    Produção: Axel Kuschevatzky, Chino Darín, Federico Posternak, Fernando Bovaira, Hugo Sigman, Leticia Cristi, Matías Mosteirín, Ricardo Darín, Simón de Santiago

    Fotografia: Rodrigo Pulpeiro

    Trilha Sonora: Federico Jusid

    Estúdio: K&S Films, Kenya Films, Kramer, Mod Producciones

    Montador: Alejandro Carrillo Penovi

    Distribuidora: Warner Bros

    Elenco

    Ailín Zaninovich, Alejandro Gigena, Andrés Parra, Carlos Belloso, Chino Darín, Daniel Aráoz, Federico Berón, Guillermo Jacubowicz, José María Marcos, Luciano Cazaux, Luis Brandoni, Marco Antonio Caponi, Ricardo Darín, Rita Cortese, Verónica Llinás

  • Crítica

    29/10/2019 01h06

    Por Diego Canha

    Filmes argentinos são notoriamente reconhecidos por serem os melhores sul-americanos para contarem ótimos histórias sobre o período da ditadura no país, com produções de distintos gêneros sobre esse tema nefasto. A Odisseia Dos Tontos é um passo para uma nova hegemonia: abordar a crise financeira que ocorreu no início dos anos 2000 com histórias que fogem do óbvio. Não que crises financeiras sejam novidades para os hermanos.

    O longa é baseado no livro "La Noche de la Usina", de Eduardo Sacheri, e conta a história de um grupo de "perdedores" que foram vítima de um golpe no ápice da crise econômica da Argentina em 2001. Ao saberem onde está seu dinheiro, os heróis improváveis entram em ação em uma aventura com muito humor.

    Mas esse cenário da crise é apenas o pano de fundo e cenário para contar uma história mais próxima a realidade e não há pretensões de fazer relatos históricos ou ficar pesando na crueldade que foi para muitos argentinos. E o caminho de ser um "feelgood movie" é o acerto do longa.

    Com ritmo satisfatório, A Odisseia traz em seu elenco o primeiro escalão argentino e o prazer de vermos pela primeira vez nas telonas Ricardo Darín e seu filho, Chino, atuando juntos. E o jovem não decepciona frente a pressão que enfrentará a vida toda. Entre os "tontos" mais "tontos", Carlos Belloso e seu "Loco" Medina ganha destaque.

    O filme de Sebastián Borensztein não fica preso a comédia e por muitos momentos mistura drama, suspense, thriller e aventura, sem pesar a tinta em nenhum dos gêneros.

    Em um período em que se discute muito como Coringa pode influenciar as pessoas a quererem "fazer justiça" (para esse que vos escreve, quem pensa isso só não entendeu o filme de Todd Phillips), podemos curtir nessa produção argentina uma justiça com as próprias mãos sem o uso da violência. Com saídas criativas e respeitando a limitação física de um grupo de pessoas médias de um povoado aos arredores de Buenos Aires.

    Para além das piadas mais lógicas ou alívios cômicos mais fáceis de digerir, os diálogos carregam comentários para quem tem conhecimento da história argentina ou viveu isso por lá que irão arrancar pequenos sorrisos, principalmente quando Luis Brandoni e Daniel Aráoz estão discutindo, um anarquista e o outro peronista.

    A Odisseia Dos Tontos te deixa feliz praticamente por toda jornada e é ótimo ver um filme sem a obrigação de ficar tenso. Que o longa seja um dos cinco indicados para o Oscar 2020 e quem sabe um filme honesto (como os "tontos" da película) não consiga mais uma vitória surpreendente.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus