A QUEDA! AS ÚLTIMAS HORAS DE HITLER

A QUEDA! AS ÚLTIMAS HORAS DE HITLER

(Der Untergang)

2004 , 150 MIN.

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Oliver Hirschbiegel

    Equipe técnica

    Roteiro: Bernd Eichinger

    Produção: Bernd Eichinger

    Fotografia: Rainer Klausmann

    Trilha Sonora: Stephan Zacharias

    Estúdio: Constantin Film Produktion

    Distribuidora: Europa Filmes

    Elenco

    Alexandra Maria Lara, André Hennicke, Birgit Minichmayr, Bruno Ganz, Christian Berkel, Corinna Harfouch, Heino Ferch, Juliane Köhler, Matthias Habich, Michael Mendl, Thomas Kretschmann, Ulrich Matthes, Ulrich Noethen

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Mais uma vez a polêmica é maior que o filme que a provoca. Assim como já aconteceu com A Paixão de Cristo, Closer - Perto Demais, Em Carne Viva e vários outros, o filme A Queda! As Últimas Horas de Hitler não é tão polêmico quanto as páginas e páginas publicadas no mundo inteiro fazem crer. Em outras palavras, relaxe: o filme não retrata um Hitler "humano" como foi alardeado. O roteiro explora mais um lado supostamente esquizofrênico do ditador nazista (muito bem interpretado por Bruno Ganz, de Pães e Tulipas), capaz de alternar seus conhecidos ataques histéricos (ridicularizados de forma inesquecível por Chaplin em O Grande Ditador) com momentos de pura cortesia para os seus subordinados. Capaz dos atos mais paradoxais, como cometer suicídio ao lado da esposa, o ditador exigia fidelidade cega dos seus comandados, proibindo-lhes terminantemente de se renderem, mesmo após sua própria morte. Um homem obstinado em passar para a História e orgulhoso pelo extermínio de judeus, o que considera o seu maior feito. Nada disso me parece "humanizar" o personagem.

    Esteticamente falando, o filme segue uma linha cronológica e didática, quase burocrática, assemelhando-se a uma minissérie de TV condensada para o cinema. Se, artisticamente, esta opção estética faz de A Queda! As Últimas Horas de Hitler um filme de poucos atrativos cinematográficos, por outro lado a direção aproxima a narrativa de um (falso) estilo documental, vendendo melhor sua idéia.

    O roteiro se baseia em dois livros: Inside Hitler´s Bunker, do historiador Joachim Fest, e Bis Zur Letzten Stunde, de Melissa Muller e Traudl Junge, esta última secretária particular de Hitler, interpretada no filme pela romena Alexandra Maria Lara. A ação se fixa nos últimos momentos do ditador, mais especificamente de 20 de abril a 2 de maio de 1945. Locações em São Petersburgo se converteram na Berlim do final da Guerra e um minucioso trabalho de estúdio nos aproxima do que teria sido o bunker onde Hitler passou seus últimos dias. Para imitar a voz de seu personagem, Bruno Ganz não se baseou nos famosos discursos do líder nazista, mas sim na única fita - de poucos minutos de duração - que registra a voz normal de Hitler, numa conversa informal.

    O diretor Oliver Hirschbiegel, o mesmo de A Experiência, pode não ter realizado uma obra genial, mas contou com a grande colaboração dos opositores do filme, que transformaram A Queda! As Últimas Horas de Hitler de um trabalho apenas razoável num acontecimento internacional de mídia. Sorte dele.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus