A ÚLTIMA PROFECIA

A ÚLTIMA PROFECIA

(Mothman Prophecies)

2002 , 119 MIN.

14 anos

Gênero: Suspense

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Mark Pellington

    Equipe técnica

    Roteiro: Becky Johnson, Richard Hatem

    Produção: Gary Goldstein, Gary Lucchesi, Tom Rosenberg

    Fotografia: Fred Murphy

    Trilha Sonora: Andy Milburn, Jeff Rona, Tom Hajdu

    Elenco

    Alan Bates, Ann McDonough, Betsy Zajko, Christin Frame, Clay Bunting, Dan Callahan, David Eigenberg, Debra Messing, Laura Linney, Lucinda Jenney, Matt Miller, Nesbitt Blaisdell, Pete Handelman, Richard Gere, Shane Callahan, Tom Tully, Will Patton

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    O início do filme é dos mais clássicos: homem bem sucedido tem de tudo, sofre uma tragédia e sua vida muda completamente. O protagonista no caso é John Klein (Richard Gere), jornalista do jornal Washington Post que acaba de comprar uma bela casa em companhia de sua amada esposa. Porém, no mesmo dia, um acidente de automóvel muda para sempre os planos de Klein. Daí pra frente, o filme A Última Profecia segue um rumo diferente: um corte de tempo de dois anos mostra o personagem perdido numa estrada. Ele pede ajuda numa casa, onde é recebido com total hostilidade por um homem que diz não agüentar mais ser incomodado por Klein todos os dias. Mas o jornalista jura que jamais passou por aquele lugar. A polícia é chamada e começa o mistério: como Klein pode ter incomodado tanto um homem que nunca viu? Por que ele estava perdido naquela cidadezinha, longe de tudo? O clima é de Além da Imaginação. Porém, a história baseada no livro autobiográfico de John Keel não tem fôlego para segurar os quase 120 minutos do filme. Longas cenas mortas ajudam a esfriar a história que poderia caber num curta-metragem sem maiores problemas.

    O que mais impressiona em A Última Profecia é que tudo se baseia em fatos reais ocorridos entre 1966 e 67. Obviamente a magia do cinema se encarrega de glamourizar todos os eventos, mas sem dúvida trata-se de uma trama intrigante, se formos considerá-la verdadeira.

    A direção - competente - é de Mark Pellington, o mesmo de O Suspeito da Rua Arlington.

    4 de outubro de 2002

    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus