ABANDONO DO SUCESSO

ABANDONO DO SUCESSO

(Zuotian/ Quitting)

2001 , 112 MIN.

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Yang Zhang

    Equipe técnica

    Roteiro: Xin Huo, Zhang Yang

    Produção: Peter Loehr

    Fotografia: Cheng Shouqi, Yu Wang

    Elenco

    Jia Fengsen, Jia Hongsheng, Shun Xing, Tong Wang, Xiuling Chai

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Depois do extraordinário Banhos, o diretor e roteirista chinês Zhang Yang lança o sensível drama familiar Abandono do Sucesso, uma história baseada nos fatos reais que marcaram a vida do jovem ator chinês Jia Hongsheng. Depois de um início de carreira promissor, Jia se envolve com drogas, entra em depressão, e se fecha em seu escuro apartamento em Pequim. Seus pais vêm do interior para tentar ajudá-lo. O conflito é inevitável. Jia repudia suas origens camponesas e tenta viver uma vida ocidental que não lhe pertence. E seus pais, simplórios, fazem de tudo para tentar compreender a situação.

    Yang retoma o tema central de Banhos: a dificuldade de relacionamento entre pais e filhos, entre a China rural e a China urbana. Ou, sob outro ponto de vista, entre a sociedade tradicional e a moderna globalização. Mas que ninguém espere de Abandono do Sucesso um filme político ou panfletário. Longe disso. Yang prioriza o humanismo, a dedicação sem limites de um pai por seu filho problemático, o amor incondicional.

    Formalmente, Abandono do Sucesso segue a tradicional linha oriental: introspectivo, reflexivo, lento para o padrão ocidental. Não há, como em Banhos, o “grande momento”, o “gran finale”, mas há sim fortes doses de sensibilidade. Matéria-prima essencial para um bom filme.

    No final, o espectador é brindado com uma bela surpresa que não convém ser revelada aqui.

    29 de agosto de 2002
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus