ADEUS À LINGUAGEM

ADEUS À LINGUAGEM

(Adieu au langage)

2014 , 70 MIN.

14 anos

Gênero: Drama

Estréia: 30/07/2015

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Jean-Luc Godard

    Equipe técnica

    Roteiro: Jean-Luc Godard

    Produção: Alain Sarde, Brahim Chioua, Vincent Maraval

    Fotografia: Fabrice Aragno

    Estúdio: Canal+, Wild Bunch

    Distribuidora: Imovision

    Elenco

    Alain Brat, Alexandre Païta, Bruno Allaigre, Christian Gregori, Daniel Ludwig, Gino Siconolfi, Héloise Godet, Isabelle Carbonneau, Jeremy Zampatti, Jessica Erickson, Kamel Abdeli, Marie Ruchat, Richard Chevallier, Stéphane Colin, Zoé Bruneau

  • Crítica

    30/07/2015 17h43

    O cinema de Jean-luc Godard sempre procura ser político, histórico, fotográfico, coreografado, teatral e, acima de tudo, intenso. É com esses elementos que o cineasta francês, em Adeus À Linguagem, procura criticar nossa sociedade e, principalmente, os caminhos que a linguagem tomou nos últimos tempos, fazendo com que se tornasse um obstáculo para a experiência e a imaginação humana.

    Vencedor do Prêmio Especial do Júri no Festival de Cannes de 2014, o longa é um verdadeiro exercício estético, com mesclas interessantes entre o jogo de cores e o próprio 3D (tecnologia usada pela primeira vez por Godard), que se apresenta de maneira impecável, com a profundidade necessária para transmitir o caos que vivemos hoje na sociedade moderna.

    Ao longo de 70 minutos, é possível acompanhar imagens aparentemente desconectas, mas que possuem um ótimo alinhamento com os efeitos sonoros, ou seja, esse filme é um prato cheio para quem admira um cinema altamente técnico e experimental. Caso contrário, é bom nem chegar perto dessa obra, pois corre sérios riscos de achar maçante e totalmente sem nexo.

    Com um elenco enxuto, que até inclui um cachorro, o filme narra a trajetória de um casal que não consegue falar a mesma língua, criando, assim, uma tensão e um grande desconforto entre os dois. Por mais que não faça sentido na maior parte do tempo, é fato que o pequeno animal, sempre presente nos momentos mais importantes, é o que simboliza o caos e a ausência de comunicação entre os donos.

    Quando olhamos para a duração desse filme, logo imaginamos que é pouco tempo para se contar uma história. Godard prova o contrário. Ele aproveita todo segundo disponível ao apresentar uma grande intensidade dos atores, principalmente nos momentos mais críticos da história, compensando, assim, essa "falta de tempo" e deixando a sensação para o expectador de dever cumprido.

    Também é interessante perceber as citações à guerra que o francês coloca logo no início do filme, com o objetivo de deixar claro que esse é um dos seus assuntos favoritos, afinal de contas, já foi tema em outros de seus longas, como Elogio Ao Amor e Nossa Canção.

    Mesmo com um contexto bastante complexo, Adeus À Linguagem se torna interessante ao mostrar a simplicidade na hora de apresentar os fatos. Nesse caso, Godard quer refletir sobre as mudanças que precisamos fazer para viver em uma sociedade melhor. Dentro de um cenário caótico e, ao mesmo tempo, inteligente, o filme reforça de maneira abrupta que o ser humano precisa tomar os cuidados necessários para não perder a capacidade de ser verdadeiro.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus