Pôster de Além da Fronteira

ALÉM DA FRONTEIRA

(Out in the Dark)

2012 , 96 MIN.

14 anos

Gênero: Romance

Estréia: 13/12/2013

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Michael Mayer

    Equipe técnica

    Distribuidora: Europa Filmes

    Elenco

    Jamil Khoury, Michael Aloni, Nicholas Jacob

  • Crítica

    06/12/2013 15h01

    O diretor Michael Mayer é um israelense que se mudou para os Estados Unidos em 1995 para estudar cinema. Acabou fixando residência por lá e especializando-se na produção e edição de trailers. Da experiência parece ter desenvolvido um aguçado poder de concisão. Algo cristalino em Além da Fronteira, seu longa de estreia como diretor.

    A produção é enxuta, sem "barrigas" ou arestas a aparar – algo raro em filme debut. Com roteiro lapidar e montagem precisa, conta a conturbada história de amor de Joy (Michael Aloni), jovem advogado israelense, e Nimr (Nicholas Jacob), estudante palestino. O desassossego que vivenciam nada tem a ver com o desenrolar da paixão, mas sim com o pano de fundo: a tensa relação entre seus povos.

    Mas os revezes que passam Joy e Nimr não soariam tão desumanos e incabíveis se estes personagens não fossem carregados de uma verdade quase palpável. Do flerte inicial ao amadurecimento gradual da relação, a intimidade entre os dois é desenvolvida por Mayer com a sensibilidade de um diretor maduro. Sua câmera está sempre no lugar certo, captando o melhor ângulo e revelando muito pelas imagens – o olhar, o gesto - sem precisar da palavra supérflua para explicar.

    Dispensável dizer, por conseguinte, que os atores estão muito bem em seus papéis. Mas no lugar da redundância, contarei uma curiosidade revelada a mim pelo diretor em entrevista. Michael Aloni é um famoso e experiente ator israelense e foi uma escolha relativamente fácil para Mayer. Nicholas Jacob, por outro lado, não tinha experiência alguma como ator e fez a audição para o filme por indicação da namorada. Diante da "química" dele com Aloni durante os testes, o diretor desistiu de outros dois candidatos experientes e ficou com Jacob.

    Nimr acaba de conseguir uma bolsa na universidade de Tel Aviv, o que significa ter passe livre para sair da Palestina e entrar em Israel. Está estudando no que gosta e ainda tem a vantagem de estar próximo de seu amor. A felicidade, no entanto, dura pouco. Seu irmão está aparentemente envolvido com rebeldes armados e seu amigo Mustafa, gay assumido refugiado clandestinamente em Israel, é expulso do país pela polícia e enviado de volta para Ramallah, onde rumores infundados dão conta de que é um colaboracionista.

    Para piorar a situação, a família de Nimr descobre sobre sua sexualidade, ponto em que o filme salta da intolerância política e avança pela religiosa e cultural. Os pais de Joy não têm problemas com a homossexualidade do filho, mas a Palestina (como o mundo árabe em geral) não é o melhor lugar para se "sair do armário" ou ser retirado dele involuntariamente como ocorre com Nimr.

    Daí em diante o casal tenta lidar com a situação como pode. Mesmo com todo o poder de sua família abastada, o advogado vê que seu país não é tão progressista como parece, principalmente com o "inimigo", que é como Nimr passa a ser visto. Há o terrorismo armado do lado de lá, mas o terrorismo psicológico exercido por agentes de segurança de Israel ameaçando palestinos gays de expulsão, o que muitas vezes equivale à pena de morte.

    A solução para Roy e Nimr será extrema, mas inevitável.

    Em tempo: não gosto da expressão "filme essencial", assim como não gosto de outros lugares-comuns. Mas em tempos de intolerância grassando aqui e ali, Além da Fronteira é imprescindível, sim. Não deixe de ver.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus