ALGUÉM TEM QUE CEDER

ALGUÉM TEM QUE CEDER

(Something's Gotta Give)

2003 , 128 MIN.

14 anos

Gênero: Comédia Romântica

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Nancy Meyers

    Equipe técnica

    Roteiro: Nancy Meyers

    Produção: Bruce A. Block, Nancy Meyers

    Fotografia: Michael Ballhaus

    Trilha Sonora: Alan Silvestri

    Estúdio: Columbia Pictures Corporation

    Elenco

    Amanda Peet, Diane Keaton, Jack Nicholson, Jon Favreau, Keanu Reeves, Michael J. Fox

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    A fórmula das comédias românticas costuma ser a mesma: homem e mulher se conhecem, não simpatizam um com o outro de início, mas, na verdade, estão loucos para ficar juntos. Até que ficam. Coloque aí o melhor amigo dele e a amiga inseparável da heroína e você tem um desses filmes que tanto agradam especialmente as mocinhas. Dentro dessa receita, chega no Brasil Alguém Tem Que Ceder, dirigido por Nancy Meyers (Do Que As Mulheres Gostam).

    Só que, se você pensa que Alguém Tem Que Ceder é mais uma entre tantas comédias românticas, está muito enganado. Principalmente, graças ao casal protagonista: Diane Keaton e Jack Nicholson. O nome dos dois atores já basta para dar um carimbo de atestado de qualidade em qualquer filme. Por isso, por mais previsível que seja o roteiro, a presença dessa dupla de atores veteranos faz com que o filme seja bom.

    Nicholson é Harry. Dono de uma gravadora independente que lança discos de hip hop, ele é um daqueles homens com síndrome de Peter Pan, ou seja, recusam-se a se comportar como alguém de sua idade. Do alto de seus sessenta e poucos anos, Harry só namora mulheres mais jovens, com pouco mais de 20 anos. Sua namorada atual é Marin (Amanda Peet), com quem pretende passar um final de semana romântico na casa da praia da mãe dela, a escritora Erica (Diane Keaton). Só que os pombinhos não contavam com a presença de Erica, que está no lugar para terminar uma peça de teatro.

    Quando Harry tem um ataque cardíaco, por ordens médicas, é obrigado a ficar na casa até se recuperar completamente. Claro que, no começo, Erica e Harry se odeiam, mal conseguem conviver sob o mesmo teto. No entanto, com o tempo, descobrem que têm muitas afinidades. Quando percebe que está caindo de amores pela sogra, repensa seus valores e considera o fato de namorar mulheres de sua idade. Ele começa a aceitar que, sim, está ficando velho e não há problema nenhum nisso.

    Erica também tem seus conflitos. Seu genro representa o tipo de homem que ela sempre repudiou: o machista que só namora mulheres mais novas. Contraditoriamente, ela mesma começa a se interessar por um rapaz mais novo: Julian (Keanu Reeves), o médico que cuida de Harry e investe pesado para conquistá-la.

    Jack Nicholson e Diane Keaton são o verdadeiro brilho de Alguém Tem Que Ceder. Apesar de seus personagens passarem boa parte do filme brigando, os dois atores têm um entrosamento que salta à tela. Diane, inclusive, consegue estar melhor ainda do que Nicholson - o que justifica sua indicação ao Oscar de Melhor Atriz.

    Outro ponto forte do filme é o fato dos protagonistas passarem de seus 50 anos, o que é incomum. Se esse gênero cinematográfico já está um pouco desgastado graças à velha fórmula, colocar um casal não tão jovem assim faz com que o filme seja mais atraente.

    Sim, Alguém Tem Que Ceder é uma comédia com as velhas fórmulas, mas alguns grandes detalhes fazem com que ele valha a pena ser visto. Mais de uma vez, até. Afinal, não é sempre que temos nos cinemas uma comédia romântica realmente inteligente como esta.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus