ALL TOMORROW'S PARTIES

ALL TOMORROW'S PARTIES

(All Tomorrow's Parties)

2009 , 82 MIN.

Gênero: Documentário

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Jonathan Caouette

    Equipe técnica

    Produção: Luke Morris

    Fotografia: Jason Banker, Marc Swadel, Vincent Moon

  • Crítica

    03/11/2009 17h03

    Em 1999, o produtor Barry Hogan inspirou-se numa música do Velvet Underground para nomear o festival de música que inventou, ou All Tomorrow’s Parties. A ideia é, todo ano, convidar uma banda ou artista para fazer a curadoria do evento, que reúne não somente atrações musicais, mas de artes em geral num balneário no interior do Reino Unido. Desde a banda escocesa Belle & Sebastian – que fez a curadoria no primeiro ano do festival, em 1999 – até Portishead e o produtor grunge Steve Albini, muitos já passaram pela função de escolher as atrações do evento, que sempre muda de direção dependendo do curador da edição.

    Essa é uma das características que o documentário All Tomorrow’s Parties mostra em relação ao evento. Composto por imagens enviadas por centenas de frequentadores do evento nestes últimos dez anos, compilação feita por Jonathan Caouette, o filme não tem uma função didática ao abordar a história do festival, pelo contrário. Numa colagem que enfatiza vezes as apresentações musicais, vezes as loucuras dos frequentadores, o longa-metragem é um filme tão alternativo quando as bandas que já se apresentaram no evento, como Sonic Youth, Grinderman, Daniel Johnston, Gossip, Yeah Yeah Yeahs e Belle & Sebastian. O filme não respeita nenhuma linha do tempo, nem pretende fazer uma propaganda ou apresentar o festival ao espectador, mas consegue passar, em sua própria forma caótica, a diversão na qual tanto artistas quanto espectadores se inserem durante o festival, criado para ser uma alternativa aos já grandes demais Reading e Glastonbury, que ocorrem na alta temporada, no Reino Unido.

    All Tomorrow’s Parties é um documentário feito pelos frequentadores não somente para quem conhece o festival, mas também para pessoas que poderiam gostar de ir ao All Tomorrow's Parties, assistindo a shows nos quartos ao lado de alguma banda desconhecida, ou ver Portishead no palco principal. É mais ou menos esse o clima que se dá no festival, com modelo dos mais criativos.

    Dia 4/11 (quarta-feira), Centro Cultural São Paulo, 18h (Sessão 1320)

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus