ALPHA DOG

ALPHA DOG

(Alpha Dog)

2006 , 117 MIN.

16 anos

Gênero: Drama

Estréia: 18/05/2007

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Nick Cassavetes

    Equipe técnica

    Roteiro: Nick Cassavetes

    Produção: Chuck Pacheco, Sidney Kimmel

    Fotografia: Robert Fraisse

    Trilha Sonora: Aaron Zigman

    Estúdio: Sidney Kimmel Entertainment

    Elenco

    Amanda Seyfried, Anton Yelchin, Ben Foster, Bruce Willis, Courtney Cox-Arquette, Dominique Swain, Emile Hirsch, Fernando Vargas, Justin Timberlake, Lukas Haas, Olivia Wilde, Paul Johansson, Sharon Stone, Shawn Hatosy

  • Crítica

    18/05/2007 00h00

    O nome do traficante de drogas juvenil norte-americano Jesse James Hollywood já tem cara de cinema: o sobrenome não pede explicações detalhadas; o primeiro foi inspirado num dos maiores bandidos da história norte-americana. Não demorou muito para que sua história de bandidagem - mais especificamente a que o levou a ser o mais jovem a figurar na lista dos mais procurados pelo FBI - virasse filme. O roteiro de Alpha Dog é baseado nos três dias que marcaram para sempre a história do rapaz e de sua turma de amigos igualmente delinqüentes durante os anos 90.

    Além de dirigir este longa-metragem, Nick Cassavetes (Diário de uma Paixão) também assina o texto da trama. Para tal, teve acesso a todos os documentos arquivados pela polícia do condado de Santa Bárbara, na Califórnia, onde os crimes de Hollywood aconteceram. Apesar deste pretenso comprometimento com a história real, Alpha Dog é uma releitura dos fatos. Evidência primordial disso é que os nomes dos envolvidos foram trocados no roteiro: Jesse James Hollywood virou Johnny Truelove (Emile Hirsch). Na década de 90, o jovem traficante de drogas vive numa grande casa na Califórnia, cercado de amigos e belas mulheres. Aparentemente, esse seu estilo de vida de gângster moderno é apoiado pelo pai, Sonny (Bruce Willis). Tudo vai muito bem, entre festas, bebedeiras e muitos dólares faturados, até que o protagonista resolve cobrar o montante que Jake Mazursky (Ben Foster) lhe deve. O jovem, viciado e violento, passa a perseguir Johnny e ameaçar sua vida. Para pressioná-lo, o traficante seqüestra o irmão mais novo de Jake, Zach (Anton Yelchin). Mas, aos quinze anos e criado por uma mãe que o sufoca (vivida por Sharon Stone), ser refém de Johnny e sua turma é como férias para Zach, que curte três dias de festas, a companhia de belas mulheres e a simpatia de Frankie (Justin Timberlake). Mas uma seqüência de acontecimentos faz com que as coisas dêem errado para todos.

    Alpha Dog é como um filme de gângsteres juvenis. Sua trilha sonora é embalada pelo rap norte-americano, o que ajuda a ambientar a trama tanto nos anos 90 quanto no clima de crimes. O filme pode encontrar público junto aos jovens freqüentadores das salas de cinema, principalmente os fãs do cantor Justin Timberlake, que não decepciona no novo investimento em sua carreira artística. No entanto, o roteiro é muito mal-amarrado e óbvio; os diálogos são histéricos, especialmente em se tratando da atuação de Ben Foster, exagerada ao extremo. Uma pena, pois, inicialmente, ela parecia ter potencial - um dos poucos demonstrado pelo filme desde o início. As atuações dos atores veteranos presentes no elenco acabam apagadas pela nova geração que protagoniza o filme, mas isso não adianta muito quando a direção e o roteiro são mal-desenvolvidos, assim como os personagens, construídos sob clichês. Por isso, Alpha Dog acaba ficando num incômodo limbo: não se sustenta quando tenta mostrar o estilo de vida dos jovens protagonistas nem quando aborda os crimes e o drama vivido pelos envolvidos.

    Os elementos narrativos de Alpha Dog levam o espectador a crer que seu objetivo é ser fiel à história que inspirou o roteiro, desde as entrevistas com os personagens (feitas por um repórter que quer recontar a história do protagonista) até a enumeração das dezenas de testemunhas do crime. No entanto, para uma produção que pretender seu fiel, existe um detalhe em sua conclusão que põe a intenção em risco: diferentemente do acontecido com Johnny Truelove, Hollywood não foi capturado foragido no Paraguai, mas no Brasil, em 2005.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus