ALVO DUPLO

ALVO DUPLO

(Bullet to the Head)

2012 , 100 MIN.

16 anos

Gênero: Ação

Estréia: 12/04/2013

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Walter Hill

    Equipe técnica

    Roteiro: Alessandro Camon, Walter Hill

    Produção: Alexandra Milchan, Alfred Gough, Joel Silver, Kevin King Templeton, Miles Millar

    Fotografia: Lloyd Ahern II

    Estúdio: After Dark Films, Automatik Entertainment, Dark Castle Entertainment, EMJAG Productions, IM Global, Millar Gough Ink

    Distribuidora: Imagem Filmes

    Elenco

    Adewale Akinnuoye Agbaje, Beay Brasseaux, Brittany Soileau, Bryan Matthews, Christian Slater, Danyiell Oviedo, Darren Sumner, David Mi, Dominique DuVernay, Don Yesso, DonTai, Holt McCallany, Jackson Beals, Jason Momoa, JohnL. Armijo, Jon Seda, Jordan Sudduth, Marcus Lyle Brown, Michelle Torres, Nick Valentino, Sarah Shahi, Sung Kang, Sylvester Stallone, Weronika Rosati

  • Crítica

    09/04/2013 18h00

    Sabe aqueles filmes policias B, geralmente exibidos pelas madrugadas na TV? Pois é, Alvo Duplo não chega a ser um deles. Para isso seria preciso melhorar consideravelmente. Estes, apesar dos atores canastrões e tramas rasas, em sua maioria ainda conseguem manter certa coerência. Alguns, inclusive, são ótimas distrações para atravessar uma noite de insônia. Já Alvo Duplo é ruim mesmo, já na lista dos piores filmes protagonizados por Sylvester Stallone.

    Na trama Sly é o matador de aluguel Jimmy Bobo. Ele atua em New Orleans, passou parte da vida na cadeia e tem um código de ética: não mata crianças nem mulheres. Logo no início do filme, quando vai executar um serviço, poupa a vida de uma prostituta que estava acompanhando a infeliz vítima. A decisão não faz a menor diferença para a história e serve apenas para o público ter a percepção de que, apesar de assassino, Bobo é um cara com certa humanidade. Ele também tem uma filha, Lisa (Sarah Shahi), cuja participação no filme se limita a de virar a donzela em perigo mais adiante.

    Dirigido pelo veterano Walter Hill (da franquia 48 Horas), o longa tem montagem irregular, roteiro frágil e sequências de ação e violência nada empolgantes. Mas o que chama a atenção mesmo são os sofríveis diálogos, que chegam a provocar vergonha alheia de tão mal elaborados. Eles ocorrem em geral entre Bobo e o policial Taylor (Sung Kang), enviado de Washington para New Orleans para investigar o assassinato de um ex-policial envolvido com o crime. Apesar de estarem em lados opostos da lei, Bobo e Taylor são obrigados a unir forças. E dá-lhe conversas idiotas – que se pretendiam espirituosas – entre os dois.

    Os vilões, todos péssimos e de motivações mal explicadas, incluem um especulador imobiliário (Adewale Akinnuoye-Agbaje), um advogado inescrupuloso (Christian Slater) e um brutamontes (Jason Momoa, o último Conan). Bobo e o agente Taylor, entre uma conversa tola aqui e outra ali, vão eliminando capangas até chegarem ao insosso confronto final com os líderes criminosos. Por essa hora nem mesmo uma luta de machados entre Sly e o grandalhão Momoa consegue nos fazer mudar de posição na poltrona.

    Sylvester Stallone já vez bastante coisa sem relevância, mas Alvo Duplo é do tipo de filme que faz Pare! Senão Mamãe Atira – considerado o pior de sua carreira – começar a parecer injustiçado.



Deixe seu comentário
comments powered by Disqus