Amor sem Fim

AMOR SEM FIM

(Endless Love)

2014 , 104 MIN.

14 anos

Gênero: Comédia Romântica

Estréia: 12/06/2014

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Shana Feste

    Equipe técnica

    Roteiro: Joshua Safran, Shana Feste

    Produção: Josh Schwartz, Pamela Abdy, Scott Stuber, Stephanie Savage

    Fotografia: Andrew Dunn

    Estúdio: Bluegrass Films, Fake Empire, Universal Pictures

    Montador: Maryann Brandon

    Distribuidora: Universal Pictures

    Elenco

    Alex Pettyfer, Alexandra Bartee, Alexandra Ficken, Anna Enger, Bruce Greenwood, Candace Blanchard, Chance Bartels, Dayo Okeniyi, Emma Rigby, Fabianne Therese, Gabriela Fraile, Gabriella Wilde, Joely Richardson, Jonny Beltran, Kristi Lauren, Lisa M. Barfield, Paisley Scott Dickey, Patrick Johnson, Rhys Wakefield, Robert Patrick, Sharon Conley, Stephanie Northrup

  • Crítica

    11/06/2014 19h45

    Este romance adolescente é a refilmagem de Amor sem Fim (1981), filme que fez Brooke Shields ganhar fama internacional. Os personagens centrais são Jade (Gabriella Wilde) e David (Alex Pettyfer), dois jovens que acabaram de terminar o ensino médio e se apaixonam. O problema é que para levarem adiante o affair vão ter de enfrentar Hugh (Bruce Greenwood), pai da moça, que, definitivamente, não foi com a cara de David.

    Os minutos iniciais de Amor sem Fim evidenciam de cara o sem-número de problemas do filme. O principal é a absoluta falta de capacidade do casal em nos fazer acreditar na intensidade do amor deles. As situações quase infantis que o roteiro propõe para mostrar o início do relacionamento chegam a ser risíveis de tão ingênuas e óbvias. Nem Nicholas Sparks ousaria tanta pieguice em seus romances.

    Naturalmente, a soma de casal insosso e trama simplória torna difícil para o público se conectar emocionalmente como drama dos dois. A coisa melhora um pouco do meio para o final, quando o filme deixa de lado as doses elevadas de açúcar (do tipo transa romântica com lareira crepitante ao fundo) e passa a investir no conflito dos jovens amantes com o pai da jovem. Mas nada de entusiasmo, Amor sem Fim continua sendo o que promete desde o início: uma bobagem dispensável.

    Impossível não pensar no por quê? Por que fazer um remake que consegue ser consideravelmente bem inferior à matriz dirigida por Franco Zeffirelli? E olha que o longa do diretor italiano já não era lá essas coisas, mas ao menos o casal convencia. Nesta nova versão nem mesmo conseguimos responder à pergunta: por que mesmo esses dois estão juntos?

    Se, como diz o verso da canção dos Beatles, All you need is love, não vai ser vendo Amor sem Fim que vai se convencer disso. Talvez até mude de ideia.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus