Poster do filme Amores brutos

AMORES BRUTOS

(Amores Perros)

2000 , 153 MIN.

18 anos

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Alejandro González Iñárritu

    Equipe técnica

    Roteiro: Guillermo Arriaga

    Produção: Alejandro González Iñárritu

    Fotografia: Rodrigo Prieto

    Trilha Sonora: Gustavo Santaolalla

    Estúdio: Altavista Films, Zeta Film

    Elenco

    Adriana Barraza, Adriana Islas, Adriana Varone, Alma Rocío González, Álvaro Guerrero, Ana María González, Ángeles Marín, Bruno Salgado, Carlo Bernal, Carlos Samperio, Dagoberto Gama, Dunia Saldívar, Edgar González, Emilio Echevarría, Ernesto Bog, Gael García Bernal, Gema Aparicio, Gerardo Campbell, Goya Toledo, Gustavo Muñoz, Gustavo Sánchez Parra, Heriberto Castillo, Hilda González, Humberto Busto, Jean Paul Bierry, Jonathan Herrera, Jorge Arellano, Jorge Salinas, José Luis Barraza, José Sefami, Juan Manuel Ramos, Kazuyo Togawa, Laura Almela, Leoncio Torres, Lourdes Echevarría, Luisa Geliz, Marco Pérez, Mauricio Martínez, Patricio Castillo, Regina Abad, Ricardo Dalmacci, Roberto Medina, Rodrigo Murray, Rodrigo Ostap, Rosa María Bianchi, Vanessa Bauche

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Pessoas diferentes, de classes sociais distintas, que provavelmente nunca se encontrariam na vida, vêm seus destinos se cruzarem tragicamente numa movimentada esquina da cidade do México. Assim é Amores Brutos, drama policial que estréia neste final de semana nos cinemas do Brasil.

    São três histórias que mudam radicalmente de trajetória depois de um violento acidente de automóvel. O jovem Otávio está apaixonado por sua cunhada, Susana, com quem planeja fugir. A modelo Valéria tenta uma nova vida ao lado do amante Daniel, que acaba de abandonar a esposa. Enquanto isso, um misterioso andarilho assassina friamente um executivo, aparentemente sem motivo algum. Um ponto em comum une estes personagens tão diferentes: os cães. De uma forma ou de outra, os cachorros terão importância fundamental para a vida de cada protagonista. Não por acaso, o título original do filme - Amores Perros - poderia ser traduzido literalmente como Amores Cães.

    Agressivo e bastante sanguinolento, Amores Brutos discute a violência urbana sem meias palavras. Não é, definitivamente, um filme para quem tem estômago fraco. A crítica internacional gostou muito: ele foi indicado ao Oscar e ao Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro - representando o México - e foi muito premiado nos festivais de Cannes e Chicago. Talvez seja um pouco de exagero. Suas duas horas e meia de projeção poderiam ser facilmente editadas sem prejuízo nenhum à narrativa. Mas, mesmo assim, é um filme que prende a atenção e revela o talento e a competência do diretor Alejandre Gonçalvez Iñarritu, um estreante que soube costurar com eficiência as três histórias que seguem paralelas durante o filme.

    24 de maio de 2001
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rede Bandeirantes de Televisão, Canal 21, Band News e Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus