AS AVENTURAS DE TADEO

AS AVENTURAS DE TADEO

(Las Aventuras de Tadeo Jones)

2012 , 92 MIN.

Gênero: Animação

Estréia: 08/02/2013

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Enrique Gato

    Equipe técnica

    Roteiro: Ignacio del Moral, Jordi Gasull, Neil Landau, Verónica Fernández

    Produção: Álvaro Augustín, Ana Jardón Ruiz, César Vargas, Edmon Roch, Ezequiel Nieto, Ghislain Barrois, Jordi Gasull, Nicolas Matji

    Trilha Sonora: Zacarías M. de la Riva

    Estúdio: El Toro Pictures, Ikiru Films, Lightbox Entertainment, Telecinco Cinema, Telefónica Producciones

    Distribuidora: Paramount Pictures Brasil

  • Crítica

    04/02/2013 17h00

    Algumas sequências deste filme dizem muito sobre os novos rumos da arte de dar movimento a desenhos. As Aventuras de Tadeo - animação digital feita em computador com uso de gráficos 3D - usa em seus flashbacks animação tradicional. Esta representa tempo remoto no enredo do filme, como costumeiramente o cinema live action faz uso do preto e branco para recriar o passado. A boa sacada deste longa espanhol é reveladora de uma realidade: desenhos animados à mão hoje só têm espaço na TV e olhe lá. Dificilmente teremos um novo O Rei Leão, maior sucesso de público no formato - talvez o último.

    O personagem Tadeo, cujas aventuras dão nome ao filme, é um menino órfão, criado pela avó, que sonha em ser arqueólogo. Assim o conhecemos: escavando o quintal de casa e dando asas à imaginação como toda criança de sua idade. Das fantasias de menino à vida como ela é, muita coisa mudou. Descobrimos um Tadeo adulto escavando sim, mas os tuneis do metrô como operário. Seu sonho de transformar-se num famoso arqueólogo não se concretizou, mas ele jamais deixou de sonhar.

    Certo dia, daqueles que podem mudar nossas vidas para sempre, Tadeo vê diante de si a oportunidade de participar de uma grande aventura. Inadvertidamente, viaja até o Peru no lugar de um importante professor e lá se junta à arqueóloga Sara numa empreendimento cheio de ação ao melhor estilo Indiana Jones. Eles saem em busca de uma cidade inca desaparecida onde estariam escondidos, até hoje, os muitos tesouros dessa civilização. Claro, não são só eles os interessados no achado. Os vilões de uma organização pirata de artefatos históricos, a Odysseus, promete dar muito trabalho a nossos aventureiros.

    Os recursos de animação digital de As Aventuras de Tadeo não são surpreendentes com os da Pixar. A técnica utilizada se assemelha mais aos desenhos de Jymmy Neutron - com ambientação e detalhamentos pouco mais caprichados. O grande mérito aqui está na boa construção dos personagens, tanto os protagonistas como os coadjuvantes, que divertem o público e não deixam o ritmo do filme cair em nenhum momento. Entre estes últimos, existe um peruano que vive de vender bugigangas e adora assistir novelas, um cachorro ligado no 220v e um passarinho mudo, que não pia, não canta, mas diverte horrores.

    Nosso herói Tadeo e seu alvo amoroso Sara - uma espécie de Lara Croft digital - encantam, divertem e são capazes de entusiasmar crianças e adultos. E digo isso porque este crítico, lá no ápice do filme, estava empolgado e torcendo para que os mocinhos fossem bem-sucedidos. E uma animação que consegue fazer um marmanjo de 39 anos entrar no clima da história superou seus mais básicos objetivos: transformar a representação animada de nós mesmos em realidade palpável.

    As Aventuras de Tadeo foi indicado a cinco prêmios Goya, o Oscar do cinema espanhol cuja premiação ocorre 17 de fevereiro: Melhor Animação, Melhor Novo Diretor, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Trilha Sonora e Melhor Canção. Mérito de um filme que bebe na fonte da modernidade, mas não esquece um princípio básico do cinema: uma boa história a contar.




Deixe seu comentário
comments powered by Disqus