AS AVENTURAS DE TINTIM: O SEGREDO DO LICORNE

AS AVENTURAS DE TINTIM: O SEGREDO DO LICORNE

(The Adventures of Tintin: The Secret of the Unicorn)

2011 , 108 MIN.

Gênero: Animação

Estréia: 20/01/2012

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Steven Spielberg

    Equipe técnica

    Roteiro: Edgar Wright, Joe Cornish, Steven Moffat

    Produção: Kathleen Kennedy, Peter Jackson, Steven Spielberg

    Fotografia: Janusz Kaminski

    Trilha Sonora: John Williams

    Estúdio: Amblin Entertainment, Columbia Pictures, Hemisphere Media Capital, Nickelodeon Movies, Paramount Pictures, The Kennedy/ Marshall Company, WingNut Films

    Distribuidora: Sony Pictures

    Elenco

    Andy Serkis, Cary Elwes, Daniel Craig, Daniel Mays, Enn Reitel, Gad Elmaleh, Ian Bonar, Jacquie Barnbrook, Jamie Bell, Joe Starr, Kim Stengel, Mackenzie Crook, Mark Ivanir, Mohamed Ibrahim Elkest, Nick Frost, Phillip Rhys, RonBottitta, Sana Etoile, Sebastian Roché, Simon Pegg, Sonje Fortag, Toby Jones, Tony Curran

  • Crítica

    19/01/2012 14h00

    As Aventuras de Tintin: O Segredo do Licorne é tecnicamente irrepreensível, um deleite para os olhos, divertido em alguns momentos, mas incapaz de insuflar na audiência o mesmo desejo por aventura que o personagem original de Hergé. O motivo: o Tintim do filme não é carismático o suficiente para ganhar o entusiasmo do espectador. Não à toa, o longa deve agradar mais os que já eram fãs do personagem do que angariar novos.

    Uma coisa não se discute: Steven Spielberg e Peter Jackson investiram todo o seu potencial técnico nesse novo filme e fizeram, de fato, um magnífico trabalho. O longa é simplesmente de um realismo e capricho artístico impressionantes. Por outro lado, o roteiro baseado nos originais O Segredo do Licorne e O Caranguejo das Pinças de Ouro privilegia a ação ininterrupta, mas constrói mal seus personagens. A exceção é o hilário Capitão Haddock (Andy Serkis), destaque do filme. Arrisco a dizer que, na ausência de Haddock - com seu problema de alcoolismo e memória seletiva - o filme tornar-se-ia até mesmo enfadonho.

    A mescla das duas história resulta na seguinte trama: Tintim adquire em uma feira livre uma réplica do galeão Licorne e, mesmo diante de ofertas tentadoras pelo artefato, não abre mão do item adquirido envolvendo-se, por isso, em uma aventura repleta de ação e mistérios. Sempre acompanhado de seu fiel companheiro, o cãozinho Milu - e contando com a “ajuda” dos atrapalhados agentes gêmeos Dupond e Dupont e do Capitão Haddock.

    A ideia era homenagear Tintim – de quem Spielberg é fã confesso -, mas no final das contas o cineasta acaba fazendo uma homenagem a si mesmo. A animação é repleta de referências aos sucessos de aventura que dirigiu, como Caçadores da Arca Perdida, Jurassic Park e Tubarão.

    Spielberg sabe dirigir cenas de ação e perseguição e usa esse know-how para as sequências movimentadas de Tintim. Para os que tiverem dificuldade de embarcar nessa montanha-russa, por não se sentirem cativados pelo personagem ou enredo, John Williams se faz presente com sua trilha sonora a pontuar com exatidão quando se deve ficar empolgado, quando se deve relaxar.

    As Aventuras de Tintim: O Segredo do Licorne é uma animação realmente admirável do ponto de vista técnico. E só.


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus