AS DUAS FACES DA LEI (2008)

AS DUAS FACES DA LEI (2008)

(Righteous Kill (2008))

2008 , 106 MIN.

14 anos

Gênero: Policial

Estréia: 10/10/2008

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Jon Avnet

    Equipe técnica

    Roteiro: Russell Gewirtz

    Produção: Alexandra Milchan, Avi Lerner, Boaz Davidson, George Furla, Jon Avnet, Lati Grobman, Randall Emmett

    Fotografia: Denis Lenoir

    Trilha Sonora: Ed Shearmur

    Elenco

    50 Cent, Al Pacino, Brian Dennehy, Carla Gugino, Donnie Wahlberg, John Leguizamo, Robert De Niro

  • Crítica

    10/10/2008 00h00

    Ingresso de cinema: R$ 18. Estacionamento: R$ 8. Ver Al Pacino e Robert de Niro juntos, o tempo todo, no mesmo filme: não tem preço. Mesmo que As Duas Faces da Lei não tivesse um bom roteiro, já valeria a pena ver o filme para curtir as interpretações destes dois monstros do cinema moderno (ultimamente, muito mais por Pacino que por De Niro). Mas a boa notícia é que, além de mostrar os dois astros juntos o tempo todo (e não somente numa rápida cena, como aconteceu em Fogo Contra Fogo), o filme tem, sim, um ótimo roteiro.

    Não exatamente pela história em si, que não é uma grande novidade, mas sim pela forma como ela é contada. Logo nos primeiros instantes vemos um vídeo gravado pelo veterano policial Turk (De Niro) confessando os seus crimes. Pensamos então não se tratar de um filme estilo whodunit, onde o mais importante é saber quem é o culpado, já que a solução do crime é revelada já na primeira cena. Engano. As Duas Faces da Lei trará esta e outras surpresas que - claro - não devem ser reveladas agora. Surpresas escritas pelo roteirista Russell Gewirtz, autor também de outro policial muito elogiado: O Plano Perfeito.

    Turk e Rooster (Pacino) trabalham na polícia de Nova York há 30 anos. Conhecem todos os meandros da bandidagem, sabem tudo sobre a criminalidade da região e destilam entre si uma grande amizade e uma ótima química de relacionamento. Com tanto tempo na polícia, ambos estão cansados de saber que a justiça não só tarda como falha. E se vêem no direito de - vez por outra - fazer justiça com as próprias mãos. Segundo Turk, "a maioria das pessoas respeita o distintivo; mas todas respeitam a arma". Ele acredita também que "não há nada errado com um pequeno tiroteio, desde que as pessoas certas sejam acertadas". A situação, porém, é de violência crescente e tende a fugir tragicamente do controle de ambos.

    Tiras corruptos, corregedoria, distintivos e armas. Nada disso é novidade em filmes policiais, mas saborear os deliciosamente cínicos diálogos entre os protagonistas é o verdadeiro atrativo de As Duas Faces da Lei. Pacino está excelente como sempre, e De Niro - que andava extremamente careteiro ultimamente - tem uma de suas melhores interpretações recentes.

    O bom elenco coadjuvante reúne Carla Gugino (O Gângster), John Leguizamo (O Amor nos Tempos do Cólera) e Brian Dennehy (Morte de um Caixeiro Viajante). Todos sob a direção de Jon Avnet, cineasta que transita com desenvoltura pelo romance de Tomates Verdes Fritos e pelo suspense de Justiça Vermelha.

    Talvez elaborado demais para o gosto médio norte-americano, As Duas Faces da Lei não foi bem nas bilheterias do país, arrecadando pouco mais da metade dos US$ 60 milhões de seu custo estimado. Azar de quem não viu.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus