ASSOMBRAÇÃO

ASSOMBRAÇÃO

(Gwai wik)

2006 , 116 MIN.

12 anos

Gênero: Suspense

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Danny Pang, Oxide Pang Chun

    Equipe técnica

    Roteiro: Cub Chin, Danny Pang, Oxide Pang Chun, Sam Lung, Thomas Pang

    Estúdio: Universe Entertainment

    Elenco

    Angelica Lee, Lawrence Chou, Rain Li, Siu-Ming Lau

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Depois dos diversos sucessos nascidos no terror oriental, o público espera encontrar em qualquer produção do gênero uma experiência sombria e incrivelmente assustadora. Quem for assistir a Assombração, esperando um longa-metragem semelhante ao O Chamado ou O Grito, principalmente em suas versões americanas, irá se decepcionar. Porém, se você já conhece o trabalho dos irmãos Pang, Oxide e Danny (Visões) irá se impressionar com o misto de fantasia e suspense apoiados em um roteiro complexo e inteligente, mas que não causa medo algum.

    A história é toda voltada para Tsui Ting-Yin (Angelica Lee), uma famosa escritora que usa o codinome Chu Xun. Depois de fazer sucesso incrível com uma trilogia romântica, o público anseia por seu próximo projeto: um livro chamado Assombração, sobre mistérios do outro mundo. Como Ting-Yin confessou ter se inspirado em fatos pessoais para escrever os best sellers anteriores, todos ficam curiosos para conhecer a relação da escritora com o além. Irritada com o retorno de seu amante que a abandonou no passado, a protagonista está vivendo forte estresse associado à pressão em torno do novo livro. Diante disso, ela começa a ter estranhas visões, sempre relacionadas com o que escreve ou com o que tiver descartado.

    Neste momento, parece que um novo filme se inicia. Estranhamente, Ting-Yin vai parar em um mundo diferente, formado por objetos, pessoas, sentimentos e tudo que possa ser abandonado por alguém. Lá, ela recebe ajuda de uma garotinha que fará de tudo para tirá-la dali, antes que passe a fazer parte desse universo.

    A interpretação de Qiqi Zeng merece destaque, principalmente por ser seu primeiro trabalho. Ela dá vida à Ting-Yu, a garotinha que serve de guia para a protagonista no mundo do abandono. A doçura e a felicidade da pequena solícita se sobressaem no meio de tanta tristeza, sofrimento e indiferença, transmitindo uma grande lição sobre perdão.

    Seguindo a mesma linha em torno do sobrenatural e do desconhecido, encontrada nas produções dos irmãos Pang, Assombração parece uma releitura do clássico Alice no País das Maravilhas, mas com uma visão adulta, debatendo problemas sociais como o aborto e outras questões da natureza humana envolvendo o abandono. Em torno de um roteiro tão fantasioso e para transmitir a mensagem ao público há uma produção de arte impecável e efeitos visuais de primeira. Os cenários grandiosos são a essência para a criação de um universo repleto de lugares e sentimentos diferenciados, com cores, luzes e texturas que podem ser sentidas por quem se deixar envolver.

    Assombração veio romper com o modismo criado por Hollywood em torno dos filmes de terror e mostrar que bons filmes orientais podem surgir também de outros gêneros, sob outras formas.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus