AUSTIN POWERS EM O HOMEM DO MEMBRO DE OURO

AUSTIN POWERS EM O HOMEM DO MEMBRO DE OURO

(Austin Powers in Goldmember)

2002 , 94 MIN.

12 anos

Gênero: Comédia

Estréia: 13/09/2002

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Jay Roach

    Equipe técnica

    Roteiro: Mike McCullers, Mike Myers

    Produção: Demi Moore, Eric McLeod, Jennifer Todd, John S. Lyons, Mike Myers, Suzanne Todd

    Fotografia: Peter Deming

    Trilha Sonora: George S. Clinton

    Estúdio: New Line Cinema

    Distribuidora: PlayArte

    Elenco

    Beyoncé Knowles, Britney Spears, Gwyneth Paltrow, Heather Graham, Michael Caine, Michael York, Mike Myers, Mindy Sterling, Rob Lowe, Robert Wagner, Samantha Mumba, Seth Green, Tom Cruise, Verne Troyer

  • Crítica

    13/09/2002 00h00

    Quem diria? Austin Powers virou trilogia! Tudo bem que contando e recontando várias vezes as mesmas piadas, mas virou. Depois dos dois primeiros filmes, de 1997 e 1999, o agente secreto menos secreto do cinema retorna agora com Austin Powers em o Homem do Membro de Ouro, título que faz referência a 007 Contra o Homem com a Pistola de Ouro.

    Desta vez, a história - se é que alguém se importa com ela - mostra Powers (Mike Myers) retornando ao ano de 1975 para tentar salvar seu pai (o veterano Michael Caine, que alega jamais recusar qualquer papel que lhe ofereçam). Pelo caminho, ele tem de enfrentar o vilão Goldmember (vivido pelo próprio Mike Myers), um esquisitão patinador holandês.

    Na verdade, o filme é uma imensa colcha de retalhos cinematográfica. Escatológico e de mau gosto, o tom das piadas remete aos irmãos Farrelly. De Eddie Murphy, Myers pegou a mania de se caracterizar em vários personagens. As idas e vindas no tempo são claramente calcadas em De Volta Para o Futuro. E as brincadeiras sobre o universo da espionagem deixaram de ser novidade nos anos 60, desde o primeiro episódio de Agente 86 ou mesmo do agente Flint, vivido por James Coburn na mesma época. Para piorar, o filme não tem a bela e sensual presença de Elizabeth Hurley, ótima nos dois primeiros episódios.

    Porém, quem liga? O personagem caiu nas graças do público e este terceiro capítulo ultrapassou a notável casa dos US$ 200 milhões, apenas nos cinemas norte-americanos. Sinal claro que muito em breve a trilogia vai virar tetralogia...
    Repare na presença de dois ex-astros mirins no elenco: Fred Savage (da série Anos Incríveis) como o "Número Três", e Seth Green, que interpretou Woody Allen quando criança em A Era do Rádio, repetindo seu papel de Scott Evil.

    11 de setembro de 2002
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus