Poster de Bad Boys Para Sempre

BAD BOYS PARA SEMPRE

(Bad Boys for Life)

2020 , 123 MIN.

16 anos

Gênero: Ação

Estréia: 30/01/2020

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Adil El Arbi, Bilall Fallah

    Equipe técnica

    Roteiro: Chris Bremner, George Gallo, Joe Carnahan, Peter Craig

    Produção: Doug Belgrad, Jerry Bruckheimer, Will Smith

    Fotografia: Robrecht Heyvaert

    Trilha Sonora: Lorne Balfe

    Estúdio: 2.0 Entertainment, Columbia Pictures, Don Simpson/Jerry Bruckheimer Films, Overbrook Entertainment

    Montador: Dan Lebental, Peter McNulty

    Distribuidora: Sony Pictures

    Elenco

    Alexander Ludwig, Bianca Bethune, Charles Melton, David Shae, DJ Khaled, Emily Towles, Happy Anderson, Ivo Nandi, Jennifer Badger, Joe Pantoliano, Kate del Castillo, London Seabreeze, Martin Lawrence, Massi Furlan, Melissa Kennemore, Nicky Jam, Paola Nuñez, Sharon Pfeiffer, Vanessa Hudgens, Will Smith

  • Crítica

    30/01/2020 16h44

    Por Alexandre Dias

    O retorno de Bad Boys com o elenco original não é um fato extremamente surpreendente. Uma trama policial com atores carismáticos que transitam entre o humor e a ação é uma fórmula certeira, especialmente em meio a uma Hollywood de super-heróis e mega produções com orçamentos absurdos. Porém, a entrada da dupla Adil El Arbi e Bilall Fallah na direção no lugar de Michael Bay, além do hiato da franquia por 17 anos, geraram um certo receio do que esperar para o novo longa.

    Salvo os excessos, Bay tem algumas qualidades bem específicas - especialmente na ação - que são totalmente sintonizadas com o que Bad Boys tem a oferecer. O retorno dele provavelmente daria uma continuidade exata das duas primeiras produções, o que não ocorreu nessa terceira. No final, os dois novos cineastas trouxeram um frescor para a marca sem necessariamente se arriscarem, estratégia eficiente e que ainda abriu espaço para um tom nostálgico.

    Na trama, Mike Lowrey e Marcus Burnett já fizeram história nas suas longevas carreiras policiais, mas levam um susto com um ataque de um cartel e precisam se unir contra esse grupo. O roteiro, como todos os antecessores, é simples, apesar de investir em ganchos batidos demais até para a franquia. Ao mesmo tempo, o texto e os diretores utilizam essa característica a favor deles por meio do humor; há quase uma autorreferência nas piadas, tornando algo brega em cômico e, consequentemente, divertido.

    O expoente máximo deste fator é Martin Lawrence. As habilidades de comediante do ator sempre foram bem utilizadas, mas em Bad Boys Para Sempre ele praticamente é um ponto de partida do humor. Essa tática foi tão bem usufruída que deixou Will Smith no papel de herói clássico, posição a qual ele já está habituado a fazer em seus projetos. Dessa forma, a condução da ação é muito mais próxima da estrutura de um John Wick do que um Starsky e Hutch.

    El Arbi e Fallah imprimiram uma identidade ao projeto com esta opção de construção dos tiroteios e perseguições. A introdução do esquadrão tático liderado por Rita (Paola Nuñez) ajuda tanto no objetivo de dinamizar esse caráter militar como o de auxiliar a comédia de forma única. Os coadjuvantes nos longas originais contribuíam para piadas de reação da dupla protagonista, equanto nesse caso o grupo de jovens funciona de maneira complementar aos dois policiais, pois trazem a velha performance do choque geracional.

    Com isso, não só o humor foi um caminho como a homenagem também. As participações especiais são o maior exemplo do respeito que os cineastas prestaram à saga. Uma em específica é simplesmente espetacular, pois faz parte da trama então não é gratuita. Isso sem mencionar o chefe do departamento de polícia encarnado por Joe Pantoliano; percebe-se que a gritaria e fúria dele que rendiam momentos muito engraçados continuam assim, porém mais voltados para uma memória afetiva, afinal, o personagem condiz totalmente com a veia cômica de Michael Bay.

    Bad Boys Para Sempre surpreende sem surpreender. O filme joga no seguro, mas com uma roupagem inédita, que consegue tirar o melhor da franquia do seu jeito. Os fãs de longa data vão ter esbanjar alguns sorrisos a mais do que os iniciantes pelas referências, porém esses últimos não deixarão de ser cativados pela interação carismática de Smith e Lawrence em situações divertidas e empolgantes. 



Deixe seu comentário
comments powered by Disqus