BAMBI 2 - O GRANDE PRÍNCIPE DA FLORESTA

BAMBI 2 - O GRANDE PRÍNCIPE DA FLORESTA

(Bambi 2)

2006 , 72 MIN.

Gênero: Animação

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Brian Pimental

    Equipe técnica

    Produção: Jim Ballantine

    Trilha Sonora: Bruce Broughton

    Elenco

    Alexander Gould, Andrea Bowen, Anthony Ghannam, Patrick Stewart

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Geralmente, as continuações de grandes filmes causam receio no espectador. Brian Pimental, diretor de Bambi 2 - O Grande Príncipe da Floresta, com certeza, teve um grande desafio nas mãos: fazer a seqüência de um dos maiores clássicos de animação da Disney, indicado a três Oscars em 1943. O sucesso infelizmente não foi o esperado; a maior prova disso foi ter sido lançado diretamente em DVD nos EUA, sem passar pelas salas de cinema. Diferente do que todos esperavam, o longa-metragem não é exatamente uma seqüência do filme de 1942. Na verdade, sua história acontece na mesma época da primeira versão - desde a morte da mãe do pequeno cervo -, porém sob outro foco.

    Bambi 2 - O Grande Príncipe da Floresta mostra um lado até então desconhecido pelo público, a relação do pequeno cervo com seu frio e rígido pai, que passa a cuidar de sua criação até encontrar outra família. O pai de Bambi é o Grande Príncipe da floresta e tem o encargo de zelar pela segurança de todos que a habitam, principalmente dos próprios cervos. Por essa razão, ele acredita que cuidar sozinho de um filhote não cabe em meio a tantas obrigações. Essa responsabilidade e a morte de sua companheira acabam criando uma personalidade dura, incapaz de demonstrar sentimentos.

    Bambi quer mostrar ao altivo pai que pode conseguir ser um herdeiro a altura do Grande Príncipe, mas sempre acaba se metendo em confusão por causa de seu jeito brincalhão e inocente. Como não poderiam ficar de fora, Tambor e Flor estão sempre ao lado do amigo para ajudá-lo e participar das mudanças em sua vida, como o despertar de sua primeira paixão e as alterações que seu corpo está sofrendo.

    O estilo da narração segue o mesmo padrão do primeiro. Uma linguagem simples, sem piadas maliciosas e sátiras encontradas nas animações atuais, como Madagascar e Shrek, mas com diversas situações engraçadas envolvendo os personagens, bem ao estilo dos clássicos da década de 40 e 50. A sobrevivência de Bambi, tão marcante no primeiro, agora é somente pano de fundo para o relacionamento difícil entre pai e filho. Quanto à qualidade visual de Bambi 2 - O Grande Príncipe da Floresta, não há o que contestar. As expressões dos personagens e as coloridas paisagens são o resultado do bom trabalho de quatro anos realizado pela DisneyToon Studios.

    O humor leve, o colorido das imagens e a história inocentemente simples transformam Bambi 2 - O Grande Príncipe da Floresta perfeito para as crianças, com uma mensagem otimista de como superar desafios. Mas, para os adultos, antigos fãs do personagem, a animação torna-se desnecessária e frustrante, já que o clássico de 1942 supera sua seqüência, seguindo a regra de que o original é muito melhor.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus