BARRA 68 - SEM PERDER A TERNURA

BARRA 68 - SEM PERDER A TERNURA

(Barra 68 - Sem Perder a Ternura)

2000 , 80 MIN.

16 anos

Gênero: Documentário

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Vladimir Carvalho

    Equipe técnica

    Roteiro: Vladimir Carvalho

    Fotografia: André Luís da Cunha

    Trilha Sonora: Luiz Marçal, Marcus Vinícius

    Estúdio: Folkino Produções Audiovisuais

    Elenco

    Othon Bastos

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Vladimir Carvalho, um dos mais respeitados documentaristas do Brasil, está novamente em cartaz nos cinemas para fazer o que mais sabe e gosta: documentar a vida política do nosso País. Agora, Vladimir volta as suas lentes para o difícil período da ditadura militar e realiza Barra 68 – Sem Perder a Ternura, filme que retrata as repetidas agressões sofridas pela Universidade de Brasília, desde o golpe de 64 até os acontecimentos de 1968, quando 500 estudantes foram detidos numa quadra de esportes no campus da UnB. O evento foi tão marcante e importante que culminaria, pouco depois, com a criação do Ato Institucional n° 5 e do Ato Suplementar n° 38, este último pondo o Congresso Nacional em recesso.

    Mais de 30 anos depois, Vladimir leva ao campus alguns participantes daqueles acontecimentos, revive com eles amargas experiências, colhe depoimentos emocionados e refaz a trajetória de lutas dos estudantes daquele período. Tudo de maneira absolutamente despojada, com pequenas câmeras digitais que deixaram os depoentes à vontade e confortáveis para falar de seus mais íntimos sentimentos.

    As imagens de hoje são mescladas com trechos de um rolo de material antigo e perdido pelo pessoal de 68, na UnB, com imagens muito precárias – porém históricas -, filmadas em 16 mm.

    O resultado é um pedaço importante da história do Brasil que merece ser conferido por quem se interessa pelas nossas raízes, nossa cultura e nossa política. “Uma reconstituição de um tempo em que Brasília vinha nascendo para a comunidade nacional e despontavam como manifestações de vida e sociabilidade o Congresso e sua Universidade, num lugar que se parecia muito com um enorme acampamento”, segundo palavras do próprio Vladimir Carvalho.

    O filme está sendo lançado aos poucos no circuito comercial, ao mesmo tempo em que percorre uma espécie de circuito universitário paralelo, sob o patrocínio da UNE.

    23 de outubro de 2001
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus