BATALHA POR T.E.R.A

BATALHA POR T.E.R.A

(Battle for Terra 3D)

2007 , 85 MIN.

Gênero: Animação

Estréia: 24/09/2010

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Aristomenis Tsirbas

    Equipe técnica

    Roteiro: Evan Spiliotopoulos

    Produção: Dane Allan Smith, Jessica Wu, Keith Calder, Ryan Colucci

    Fotografia: Aristomenis Tsirbas

    Trilha Sonora: Abel Korzeniowski

    Estúdio: MeniThings LLC

    Distribuidora: PlayArte

    Elenco

    Amanda Peet, Brian Cox, Chris Evans, David Cross, Dennis Quaid, Evan Rachel Wood, James Garner, Justin Long, Luke Wilson

  • Crítica

    22/09/2010 20h23

    O título original – Battle for Terra – poderia gerar uma confusão semântica, já que, no filme, o planeta “Terra” não é o nosso (que seria Earth no original). Pior: na trama, Terra é um planeta invadido por nós, humanos, ou seja, terráqueos. Assim, a distribuidora brasileira deu um jeitinho e rebatizou “Terra” como Batalha por T.E.R.A.

    A solução foi boa. Mesmo porque não é difícil de entender tudo isso depois que o filme começa. Os teranos – habitantes de T.E.R.A. – são pequenos seres pacíficos com olhos enormes e cauda de girino. Vivem em harmonia até que os terríveis humanos, sempre nós, invadem o planeta em busca de sobrevivência, já que fomos capazes de destruir não só a nossa Terra (“Earth”) como também os planetas vizinhos. Cabe aos terráqueos invadir o planeta, assim como cabe ao teranos a defesa e o contra-ataque. Porém, antes que a guerra se estabeleça, uma jovem terana salva a vida de um piloto terráqueo, criando assim um elo de lealdade e amizade entre as duas espécies. Um elo que, de tão forte, assumirá importância vital na derradeira batalha pela vida.

    Vencedor de três festivais internacionais, o filme se reveste de uma pesada aura de extrema seriedade para passar sua mensagem de paz e tolerância entre os diferentes. Uma total falta de humor bastante incoerente tanto com o formato de desenho animado como com o gênero aventura/ficção. O resultado é enfadonho e pretensamente solene, não oferecendo à plateia o tipo de diversão e entretenimento que geralmente se espera deste tipo de proposta cinematográfica.

    Ou, como se diz popularmente, Batalha por T.E.R.A. se leva muito a sério e se torna aborrecido. Mesmo porque o roteiro não consegue fugir dos clichês do gênero, com direito até ao líder autoritário militarista sem coração que se opõe cega e burramente às soluções que apontam para a Paz.

    Produzido em 2007, o filme só chegou aos cinemas dos EUA em 2009, onde faturou menos de US$ 2 milhões. Pelas datas de produção e lançamento, fica difícil afirmar se Batalha por T.E.R.A. plagiou ou não Wall-E, já que é notória a semelhança entre o famoso robozinho da Pixar e o mascote do piloto terráqueo que invade T.E.R.A.

    Coisas do mundo da animação...

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus