BEIJEI UMA GAROTA

BEIJEI UMA GAROTA

(Toute première fois)

2015 , 98 MIN.

14 anos

Gênero: Comédia

Estréia: 30/07/2015

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Maxime Govare, Noémie Saglio

    Equipe técnica

    Roteiro: Maxime Govare, Noémie Saglio

    Produção: Edouard Duprey, Renaud Chélélékian, Sidonie Dumas

    Fotografia: Jérôme Alméras

    Trilha Sonora: Mathieu Lamboley

    Estúdio: Gaumont, Kaly Productions, Les Improductibles, M6 Films

    Montador: Beatrice Herminie

    Distribuidora: Califórnia Filmes

    Elenco

    Adrianna Gradziel, Camille Cottin, Diane Tell, Emilie Arthapignet, Etienne Guiraud, Franck Gastambide, Frédéric Pierrot, Hubert Saint-Macary, Isabelle Candelier, Julien Cazarre, Lannick Gautry, Léonard Prain, Nicole Ferroni, Pio Marmaï, Sébastien Castro

  • Crítica

    30/07/2015 15h14

    Por Iara Vasconcelos

    Um personagem de casamento marcado descobre ter se apaixonado por outro alguém e resolve terminar tudo para seguir ao lado do verdadeiro amor de sua vida. Esse enredo já foi usado diversas vezes no cinema, vide O Casamento Do Meu Melhor Amigo, Afinado No Amor, O Casamento Dos Meus Sonhos, entre outros. A comédia francesa Beijei Uma Garota segue a mesma premissa, exceto pelo fato de que o casal da história é formado por dois homens e a algoz da separação é uma mulher.

    Na trama, o empresário Jérémie (Pio Marmaï) e o cirurgião Antoine (Lannick Gautry) estão prestes a se casar, após namorarem por cerca de 10 anos. Bem resolvidos, recebem apoio total da família moderninha de Jérémie, que ama o relacionamento dos dois, enquanto abomina o casamento hétero da filha.

    Mas não se engane pela descrição "subversiva". Beijei uma garota apela para clichês bobos e exaustivos do "universo gay", além de ser lançado no Brasil em um timing nada favorável em que grande parte dos perfis do Facebook estampam um filtro com as cores do arco íris em apoio a legalização do casamento gay nos EUA. Não que o filme seja uma ofensa reacionária, mas o humor típico de um gay estereotipado de novela das oito não é nada animador.

    Ainda assim, o grande perigo esta na exploração do conto do ex-gay. Depois de uma noite de bebedeira, Jérémy acaba no quarto de uma loira sensual e libertária. Mas não se trata de um sexo sem querer, ele se apaixona verdadeiramente por ela. Não por mulheres. Por ela. O que evidentemente atinge em cheio seu futuro casamento com Antoine - e a vida sexual dos dois também.

    O filme também falha em mostrar ao espectador quais os motivos que levaram o personagem a gostar tanto da mulher. O que ela teria de tão especial para atraí-lo já que no filme se mostra como impulsiva e inconsequente, muitas vezes de forma irritante? O roteiro falha nesse aspecto e o público pode sentir dificuldade em achar a história crível.

    Beijei Uma Garota poderia levar seu enredo para um lado mais otimista, com uma lição de que o amor não vê sexo nem gênero, mas o abuso da imagem de homossexuais caricatos e o excesso de tiradas sobre o assunto faz tudo ficar bastante forçado e artificial. No final, o que sobre é apenas mais uma comédia romântica passável à la Hollywood.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus