BEM-VINDOS

BEM-VINDOS

(Tillsammans)

2000 , 106 MIN.

16 anos

Gênero: Comédia

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Lukas Moodysson

    Equipe técnica

    Roteiro: Lukas Moodysson

    Produção: Lars Jönsson

    Fotografia: Ulf Brantås

    Elenco

    Anja Lundkvist, Claes Hartelius, Emma Brunnander, Gustav Hammarsten, Jessica Nedberg, Lisa Lindgren, Michael Nyqvist, Ola Rapace, Olee Sarri, Sam Kessel, Shanti Roney

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Chega ao Brasil a comédia dramática Bem-Vindos, novo trabalho do diretor sueco Lukas Moodyson, o mesmo de Amigas de Colégio. O ponto central do filme é uma casa em Estocolmo, capital da Suécia. O ano é 1975 e o lugar serve de moradia para uma comunidade hippie, tão comum naquela época. A casa é um pouco apertada para os seus nove moradores e, apesar da filosofia “Paz & Amor”, a harmonia não é exatamente a maior qualidade daquela comunidade.

    A situação, já tensa, piora ainda mais quando Goran (Gustav Hammarsten) leva para o lugar sua irmã Anna (Jessica Liedberg) – que acaba de se separar do marido - junto a seus dois sobrinhos. Rapidamente se estabelece uma espécie de divisão social: de um lado, hippies liberais em busca de uma nova forma de viver. Do outro, um núcleo familiar baseado em ideais burgueses. Aos poucos, cada um será obrigado a ceder um pouco, a aprender um pouco e, principalmente, a tentar enxergar as qualidades do próximo. Mesmo porque, neste caso, o próximo está próximo demais. No final deste longo aprendizado, as coisas podem não acabar em pizza, mas acabam, sim, num simbólico e significativo jogo de futebol.

    Um dos pontos que mais chama a atenção no filme é a capacidade de Moodyson em construir com tanta segurança um número tão grande de personagens: contando com o marido abandonado de Anna e com os vizinhos, são 16 no total, cada um deles de importância fundamental para a narrativa.

    Co-produzido entre Suécia, Dinamarca e Itália, Bem-Vindos é um painel bem-humorado das relações humanas, em que uma simples casa vira o microcosmo das transformações sociais dos anos 70. Dentro da nova realidade, a palavra de ordem é adaptação e o jogo de cintura é cada vez mais necessário. Os hippies aprendem com as crianças que um pedaço de carne vermelha pode não ser tão perigoso assim (embora tomar Coca-Cola já seja considerado extremamente radical), enquanto a mulher agredida pelo marido descobre que não depilar as axilas não é propriamente um pecado mortal. O tão saudável ponto de equilíbrio está prestes a ser encontrado.

    Premiado em vários festivais europeus e norte-americanos, Bem-Vindos utiliza uma linguagem cinematográfica retrô (cheia de zooms, parecendo um antigo Super-8 doméstico), coerente com a época retratada. Mas, seu conteúdo otimista e sua mensagem positiva de tolerância nunca saem de moda.

    Um toque final: repare como a garota Emma Samuelsson, no papel de Eva, parece uma versão mirim de Carla Camurati.

    23 de julho de 2001
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rede Bandeirantes de Televisão, Canal 21, Band News e Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus