CANÇÕES DA TERRA DE MINHA MÃE - EXÍLIO NO IRAQUE

CANÇÕES DA TERRA DE MINHA MÃE - EXÍLIO NO IRAQUE

(Gaomgastei Dar Aragh)

2001 , 97 MIN.

anos

Gênero: Documentário

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Bahman Ghobadi

    Equipe técnica

    Roteiro: Bahman Ghobadi

    Produção: Bahman Ghobadi

    Fotografia: Saed Nikzat

    Estúdio: Mij Film Co

    Elenco

    Allah-Morad Rashtian, Faegh Mohamadi, Iran Ghobadi, Rojan Hosseini, Saeed Mohammadi, Shahab Ebrahimi

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Após grande atraso (o filme foi exibido na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo em 2002), chega aos cinemas Canções da Terra de Minha Mãe - Exílios no Iraque, do mesmo diretor de Tartarugas Podem Voar.

    A história tem início quando um velho pai iraniano convoca seus dois filhos para resgatar Hanareh, a mãe dos rapazes, que estaria ajudando os curdos do lado iraquiano da fronteira. Pela cultura iraniana, esta atitude provocaria vergonha em toda a família, tornando-se urgente e imprescindível que a mulher retorne ao seu país. Começa, então, uma saga trágica pela região fronteiriça, sistematicamente bombardeada por Saddam Hussein (vale lembrar que o filme foi feito antes da invasão de Bush). Pessoas se encontram e se perdem, valas comuns com milhares de corpos são descobertas, ladrões e contrabandistas agem livremente. Uma verdadeira terra de ninguém que alterna paisagens áridas, poeirentas e congelantes. As relações humanas se resolvem aos gritos e, se preciso for, aos tapas. O caos é total. Mas o ser humano é, antes de tudo, adaptável. O dono de uma casa de chá aprendeu a tornar o seu negócio itinerante, levado pra lá e pra cá ao sabor e destino das bombas iraquianas. A vida continua. Na busca por Hanareh, mesclam-se alegrias, decepções e descobertas.

    Premiado em Cannes e Chicago, Canções da Terra de Minha Mãe - Exílios no Iraque traz pelos menos dois belos momentos cinematográficos dignos de nota e lembrança: as mulheres tirando a sobrevivência das próprias mãos, através da extração do barro para a fabricação de tijolos; e a singeleza dos aviões infantis feitos de papel misturada ao som aterrorizante dos jatos de Saddam.

    Cultura geral: os curdos representam hoje a maior grupo étnico do mundo sem um Estado próprio. São mais de 25 milhões descendentes de indo-europeus espalhados pela Turquia (14 milhões), Irã (seis milhões), Iraque (quatro milhões), Síria, Armênia, Azerbaijão e outros países da antiga União Soviética.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus