CARROS

CARROS

(Cars)

2006 , 117 MIN.

anos

Gênero: Animação

Estréia: 30/06/2006

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • John Lasseter

    Equipe técnica

    Roteiro: Bonnie Hunt, Branda Chapman, Dan Fogelman, Dan Scanion, Daniel Gerson, Don Lake, Joe Ranft, John Lasseter, Jorgen Klubien, Kiel Murray, Phil Lorin, Robert L. Baird, Steve Purcell

    Produção: Darla K. Anderson

    Trilha Sonora: Randy Newman

    Estúdio: Pixar Animation Studios, Walt Disney Pictures

    Elenco

    A.J. Riebli, Adrian Ochoa, Andrea Boerries, Andrew Stanton, Artie Kempner, Bill Farmer, Billy Crystal, Bob Bergen, Bob Costas, Bob Peterson, Bob Scott, Bonnie Hunt, Brian Fee, Cheech Marin, Colette Whitakerna versão brasileira de: priscila Fantin, Colleen O'Shaughnessey, Craig Good, Dale Earnhardt Jr., Dan Scanlon, Daniel Filho, Danny Mann, Darrell Waltrip, Dave Foley, Douglas Keever, E.J. Holowicki, Edie McClurg, Elissa Knight, Erik Langley, George Carlin, Guido Quaroni, Hooman Khalili, Humpy Wheeler, Jack Angel, Jan Rabson, Jay Leno, Jay Ward, Jenifer Lewis, Jennifer Darling, Jeremy Clarkson, Jeremy Piven, Jess Harnell, Jim Ward, Joe Ranft, John Cygan, John Goodman, John Ratzenberger, Jonas Rivera, Katherine Helmond, Kathy Coates, Ken Schretzmann, Laraine Newman, Larry Benton, Larry the Cable, Lindsey Collins, Lou Romano, Lynda Petty, Marco Boerries, Mario Andretti, Matt Staudt, Michael Bell, Michael Keaton, Michael Schumacher, Michael Wallis, Mickie McGowan, Mike Nelson, Paul Dooley, Paul Eiding, Paul Newman, Ray Magliozzi, Richard Cawood, Richard Kind, Richard Petty, Rodger Bumpass, Sarah Clark, Scott Clark, Sherry Lynn, Sonoko Konishi, Stephen Schaffer, Steve Purcell, Susan Blu, Teddy Newton, Teresa Ganzel, Tim Allen, Tom Hanks, Tom Magliozzi, Tony Shalhoub, Torbin Xan Bullock, wen Wilson

  • Crítica

    30/06/2006 00h00

    Dar forma e alma a histórias fantásticas é uma das especialidades dos estúdios Pixar desde a primeira vez que lançaram um longa-metragem de animação, Toy Story, em 1995. Dez anos depois de marcar para sempre a indústria cinematográfica em parceria com a Disney, o nome "Pixar" significa qualidade em animação digital. Por isso, não é de se estranhar a ansiedade que sempre acompanha os lançamentos de seus novos filmes. Carros é seu sétimo longa-metragem de animação e segue confirmando que, nessa área, não tem para mais ninguém.

    Aqui, o diretor John Lasseter (Toy Story) mergulha completamente num universo pelo qual confessa ser apaixonado: os carros. São eles os protagonistas desta imperdível animação. No centro da trama está Relâmpago McQueen (dublado por Owen Wilson na versão original), um carro de corrida estreante e ambicioso. Destaque nas pistas em busca do titulo máximo da Copa Pistão, ele disputa o troféu com outros dois carros, muito mais experientes do que ele. O Rei (dublado na versão original por Richard Petty, heptacampeão da NASCAR) é uma lenda nas pistas e está prestes a se aposentar. Chick Hicks (voz de Michael Keaton na versão original) está de olho na mesma posição que Relâmpago: a de novo queridinho das pistas.

    A caminho de Los Angeles para a corrida que pode lhe dar a tão sonhada Taça Pistão, Relâmpago se perde e vai parar na pacata cidade de Radiator Springs, à beira da famosa Rota 66 - percorrida pelos protagonistas de Sem Destino (1969). McQueen fica preso ao local depois de provocar um grande acidente que destrói a estrada que cruza a cidade. Relutante, ele permanece na cidade e, com o tempo, faz amizade com os residentes locais, como a bela Porsche Sally (dublada por Bonnie Hunt na versão original e por Priscila Fantin na brasileira), Doc Hudson (dublado por Paul Newman na versão original e por Daniel Filho na brasileira) e o velho e simpático reboque Mate, que o ajudam a ver que há coisas mais importantes que troféus, fama e patrocínios.

    Carros é como um bolo de aniversário que a Pixar se deu para comemorar os dez anos desde que seu primeiro longa foi lançado. Há diversas referências aos outros filmes do estúdio - culminando nas imperdíveis cenas que aparecem durante os créditos finais. Assim como as outras animações da Pixar, podemos encontrar uma história envolvente, desenvolvida por um roteiro melhor ainda. A história mostra o embate entre o novo e o velho; carros de corrida com decalques versus os "normais", com ferrugens e história; a individualidade, conseqüência do estilo de vida moderno, contra o espírito de coletividade tão perdido quanto a cidade de Radiator Springs do filme.

    Também não faltam os personagens carismáticos, com os quais o espectador pode, sim, se identificar - por mais que sejam apenas carros - e, claro, a qualidade visual. A primeira cena, na qual o ponto de vista que seria da câmera está dentro da pista de corrida, é perfeita. Todos os detalhes, os ângulos, fazem com que o espectador se sinta como se fosse um dos carros competindo. Ao mesmo tempo, existe esse cuidado com cada pedra, cada grão de areia que o protagonista encontra em sua epopéia pela Rota 66 - resultado de uma extensa pesquisa feita pelos animadores de Carros. Por isso, esta produção significa que a técnica dos estúdios Pixar evolui a cada nova produção, como sempre, agradando aos pequenos e aos seus pais de maneiras diferentes, mas satisfatórias em ambas as situações.

    Uma curiosidade: o sobrenome do personagem Relâmpago McQueen é uma homenagem a Glenn McQueen, animador da Pixar falecido em 2002. Inclusive, é para ele que os animadores dedicam o filme antes dos créditos subirem. E não chegue atrasado à sessão: o curta-metragem que antecede Carros, Banda de um Homem Só, é maravilhoso.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus