CAVALGADA COM O DIABO

CAVALGADA COM O DIABO

(Ride With The Devil)

1999 , 138 MIN.

14 anos

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Ang Lee

    Equipe técnica

    Roteiro: James Schamus

    Produção: James Schamus, Robert F. Colesberry, Ted Hope

    Fotografia: Frederick Elmes

    Trilha Sonora: Mychael Danna

    Estúdio: Good Machine, Hollywood International Multimedia Group Inc, Maplewood Productions Inc, Universal Pictures

    Elenco

    Addison Myers, Amber Griffith, Bill Grivna, Buck Baker, Cassie Mae Sears, Celia Weston, Cheryl Weaver, Christine Brandt, Clayton Vest, Dave Wilson, David Darlow, David L. Asher, David Lee Burnos Jr., David Rees Snell, Dean Vivian, Don Shanks, Donna Thomason, Glenn Q. Pierce, Harry Gibbs, Jacob Kozlowski, James Urbaniak, Jay Thorson, Jeffrey Dover, Jeffrey Wright, Jennie Nauman, Jennifer Ackland, Jeremy W. Auman, Jewel Kilcher, Jim Caviezel, Jim Shelby, John Ales, John Durbin, John Judd, John Whelan, Jonathan Brandis, Jonathan Rhys-Meyers, Joseph Patrick Moynihan, Kathleen Warfel, Kelly Werts, Kevin Fewell, Larry Greer, Margo Martindale, Mark Ruffalo, Martin Liebschner Jr., Marvin Schroeder, Matthew Faber, Michael Linsley Rapport, Michael Owen, Michael W. Nash, Nora Denney, Ric Averill, Roger Denesha, Roger Landes, Scott Sener, Simon Baker, Skeet Ulrich, Stephen Mailer, Steven Price, T. Max Graham, Tobey Maguire, Tom Guiry, Tom Wilkinson, Tyler Johnson, Zach Grenier, Zan McLeod

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Não se pode acertar todas. Depois de trabalhos maravilhosos como Banquete de Casamento, Comer Beber Viver, Razão e Sensibilidade e Tempestade de Gelo, o cineasta tailandês Ang Lee tropeçou feio no western dramático Cavalgada com o Diabo. Tudo bem, ele tem crédito.

    Baseado no livro “Woe to Live On”, de Daniel Woodrell, o roteirista James Schamus – habitual colaborador de Lee – mergulha fundo no cotidiano da Guerra Civil Americana para contar a história de dois amigos de infância: Jacke (Tobey Maguite, de Regras da Vida), e Jack (Skeet Ultich, de Pânico). Com a chegada da Guerra, os dois jovens vão abandonar suas vidas pacíficas e burguesas para comer o pão que o diabo amassou durante os sangrentos conflitos acontecidos ao longo da fronteira dos estados de Kansas e Missouri.

    A trama é repleta de elementos épicos, morais, aventurescos, e até românticos. Aborda lealdade, paixão, racismo, amizade. Mas o grande problema do filme é a proliferação – e a conseqüente confusão – de personagens e situações. Até os nomes dos heróis principais – Jake e Jack - contribuem para este caos. A miscelânea vai além: não bastasse a profusão de personagens – alguns deles com pouca ou nenhuma função dentro da trama – Ang Lee também se perdeu estilisticamente. Por um lado, busca o drama íntimista, às vezes arrisca o romance, e em algumas cenas não resiste em tentar o tom épico e aventureiro que o tema proporciona. Salpica, aqui e ali, doses de violência e conflitos morais. Oscilando entre todos estes caminhos, porém, Lee não trilha nenhum deles com a eficiência de seus outros filmes. A produção impecável não é suficiente para encobrir os problemas do roteiro, e as quase duas horas e vinte de Cavalgada com o Diabo ficam parecendo ainda mais longas.

    Não foi desta vez que o cinema americano produziu outro ...E o Vento Levou, mas isso não vai abalar de forma nenhuma a carreira de sucesso do diretor. Ele já se recuperou perante a crítica, o público e a indústria do cinema com o elogiado O Tigre e o Dragão, novo épico – desta vez chinês – cotado como favorito ao Oscar de filme estrangeiro deste ano.



    10 de janeiro de 2001
    ----------------------------------------------
    Celso Sabadin é jornalista especializado em cinema desde 1980. Atualmente é crítico de cinema da Rede Bandeirantes de Rádio e Televisão e do Canal 21. Às sextas-feiras é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus