CIDADE BAIXA

CIDADE BAIXA

(Cidade Baixa)

2005 , 110 MIN.

18 anos

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Sergio Machado

    Equipe técnica

    Roteiro: Karim Ainouz, Sergio Machado

    Produção: Walter Salles

    Fotografia: Toca Seabra

    Trilha Sonora: Beto Villares, Carlinhos Brown

    Estúdio: VideoFilmes

    Elenco

    Alice Braga, Débora Santiago, Harildo Deda, João Miguel, José Dumont, Lázaro Ramos, Maria Menezes, Olga Machado, Ricardo Luedy, Wagner Moura

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Cidade Baixa é uma das grandes promessas do cinema brasileiro este ano. Numa safra não muito forte, cujo expoente máximo até agora é 2 Filhos de Francisco - A História de Zezé Di Camargo e Luciano, o filme de estréia de Sérgio Machado é mais um sopro forte no cinema nacional. Ou melhor, é um soco forte, na boca do estômago. Mostrando intimamente os meandros de um triângulo amoroso, a produção joga na cara do espectador, sem pudor algum, que pessoas são feitas de desejos, tesão, suor e rancores. Sem mocinhos ou bandidos, nem mesmo apresentando a história de pessoas que se tornam notórias, Cidade Baixa é um filme que retrata de forma honesta, sem maquiagens, personagens reais, quase palpáveis, com sentimentos reconhecíveis em qualquer classe social, de qualquer cidade que não seja a Salvador, onde se passa o longa-metragem.

    Cidade Baixa conta a história de Deco (Lázaro Ramos) e Naldinho (Wagner Moura), amigos desde a infância. Os dois jovens ganham o sustento fazendo fretes e aplicando pequenos golpes a bordo de um barco. A dinâmica entre os dois amigos é virada de cabeça para baixo quando oferecem carona para Karinna (Alice Braga), uma prostituta que quer arrumar um "gringo" em Salvador. Na cidade grande, os três protagonistas são jogados em uma trama violenta repleta de ciúmes e paixão.

    Abusando dos closes, em uma fotografia baixa, Cidade Baixa tem trama forte e vigorosa, permeada de sexo. Os personagens do filme de Machado têm um vigor honesto capaz de fazer com que o próprio espectador seja jogado ao violento (não somente no sentido carnal, mas, principalmente, psicológico) triângulo amoroso que se forma. Com toques de E Sua Mãe Também, Cidade Baixa mostra como a inserção de um corpo estranho é capaz de abalar a confiança entre dois amigos cujos laços são tão fortes. Sem se apegar a clichês, a produção é capaz de retratar intensos sentimentos - e realmente mostrar tal intensidade por meio de imagens - que não são somente relacionados a jovens de "vinte e poucos anos" como os protagonistas da trama. Além da direção claustrofóbica e acertada de Machado, merece destaque a atuação do trio protagonista, que nos conduz com a mão e nos agride com tapas na cara a cada cena. Visivelmente sincronizados, fazem com que Cidade Baixa ganhe toques documentais (também graças à forma de filmar) tamanha veracidade em suas interpretações. Veracidade essa que acompanha todo o filme, sendo sua maior força.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus