CÍRCULO DE FOGO

CÍRCULO DE FOGO (2001)

(Enemy At The Gates)

2001 , 131 MIN.

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Jean-Jacques Annaud

    Equipe técnica

    Roteiro: Alain Godard, Jean-Jacques Annaud

    Produção: John D. Schofield

    Fotografia: Robert Fraisse

    Trilha Sonora: James Horner

    Estúdio: Paramount Pictures

    Elenco

    Bob Hoskins, Ed Harris, Joseph Fiennes, Jude Law, Rachel Weisz, Ron Perlman

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Definitivamente, a Segunda Guerra Mundial voltou a ser moda no cinema. Depois de O Resgate do Soldado Ryan, de U-571 - A Batalha do Atlântico e da aguardada estréia de Pearl Harbor, agora é a vez de Círculo de Fogo chamar a atenção do público e da crítica. O filme está entrando em cartaz esta semana nos cinemas brasileiros e desta vez a UIP não escondeu as cópias da imprensa, como havia acontecido em Bilhete Premiado. Nem haveria motivos para isso. Círculo de Fogo é um trabalho magnífico e empolgante do cineasta francês Jean Jacques Annaud, o mesmo de O Nome da Rosa e Sete Anos no Tibet.

    Baseado em fatos reais, o filme mostra a trajetória do soldado russo Vassili Zaitsev (Jude Law, de Gattaca e O Talentoso Ripley), exímio atirador do Exército Vermelho que foi conduzido à condição de herói nacional, durante a Segunda Guerra Mundial.

    Logo nos primeiros minutos, Círculo de Fogo é arrebatador. O desembarque das tropas russas na cidade de Stalingrado, então tomada pelos nazistas, pode ser comparado à seqüência inicial de O Resgate do Soldado Ryan: a cena é exuberante, grandiosa e perturbadora. Passado o primeiro impacto, Annaud começa a centralizar a ação da narrativa num eficiente quadrilátero de bons personagens: o jornalista Danilov (Joseph Fiennes, de Shakespeare Apaixonado), espécie de assessor de imprensa particular do soldado herói; a bela Tânia (Rachel Weisz); e o franco atirador nazista Konig (Ed Harris, excelente como sempre), além do próprio Vassili.

    O que se vê a seguir é um jogo de xadrez travado com precisão e paciência em pleno caos da Batalha de Stalingrado, que se prolongou por seis meses entre 1942 e 43. Entre os destroços e os escombros de uma cidade destruída por bombardeios, Vassili e Konig vivem uma luta privada. Um duelo de minuciosos franco-atiradores em que cada milímetro conta, cada reflexo pode significar a vida ou a morte e a paciência e a perseverança são fundamentais. Uma respiração errada pode ser fatal.

    Além do ótimo roteiro - assinado por Alain Godard e pelo próprio Annaud –, o nível de produção de Círculo de Fogo também impressiona. As batalhas são grandiosas, a reconstituição de época é perfeita, os figurinos e a maquiagem são impecáveis. Engana-se quem acreditar que se trata de um produto hollywoodiano: o filme é produzido por Alemanha, Estados Unidos, Inglaterra e Irlanda e já pode ser considerado um dos prováveis participantes da festa do Oscar 2002, que premiará os melhores deste ano. É esperar para ver.

    4 de abril de 2001
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rede Bandeirantes de Televisão, Canal 21, Band News e Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus