COMER REZAR AMAR

COMER REZAR AMAR

(Eat Pray Love)

2010 , 133 MIN.

Gênero: Drama

Estréia: 01/10/2010

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Ryan Murphy

    Equipe técnica

    Roteiro: Jennifer Salt, Ryan Murphy

    Produção: Brad Pitt, Dede Gardner

    Fotografia: Robert Richardson

    Trilha Sonora: Dario Marianelli

    Estúdio: Plan B Entertainment

    Distribuidora: Sony Pictures

    Elenco

    Ali Khan, Arlene Tur, Billy Crudup, James Franco, James Schram, Javier Bardem, Julia Roberts, Lidia Biondi, Luca Argentero, Richard Jenkins, Tuva Novotny, Viola Davis

  • Crítica

    28/09/2010 11h47

    É um projeto dos mais coerentes: para transpor um livro best seller à linguagem cinematográfica, o diretor Ryan Murphy (o mesmo do ótimo Correndo com Tesouras, lançado no Brasil apenas em DVD) resolveu adotar um estilo totalmente “best seller” de fazer cinema. Assim, transformou o livro Comer Rezar Amar num autêntico filme de autoajuda, daqueles que falam tudo o que o espectador quer ouvir, evita grandes perturbações, explora grandes amores em ambientes idílicos e – consequentemente – faz a plateia sair do cinema com uma grande sensação de saciedade. Com direito a belas locações na Índia, Bali e Itália.

    Para quem não sabe ou ainda não leu, Elizaberth Gilbert é a mulher que decidiu contar sua própria experiência de vida no livro Comer Rezar Amar, que se transformou num super best seller internacional. Interpretada no filme por Julia Roberts, ela é uma novaiorquina que parece ter tudo na vida, mas que, no fundo, se sente insatisfeita tanto no casamento, como na profissão, como… em tudo. Dá a impressão que a qualquer momento ela cruzará, numa esquina qualquer de Times Square, com alguma das personagens de Desperate Housewives. Após um conturbado divórcio com o indeciso marido Stephen (Billy Crudup) e um breve romance insatisfatório com o garotão David (James Franco), Elizaberth decide jogar tudo para cima e passar um ano inteiro viajando, em busca de seu próprio equilíbrio. Como é bom ter dinheiro pra isso!

    Vai então à Itália, onde descobre os prazeres mais simples da vida, como, por exemplo, a culinária e o famoso “dolce far niente”. É sua estada naquele país, inclusive, que rende os melhores momentos do filme, com destaque para a cena da barbearia, onde um velho barbeiro ensina à protagonista que o verdadeiro idioma italiano se “fala” com as mãos. E que a cultura americana sabe muito bem o que é entretenimento; mas não sabe se divertir porque desconhece a paixão.

    Após alguns meses na Itália, Elizabeth viaja para a Índia, em busca de paz e conhecimento interior. E neste momento quem brilha no filme é o ótimo Richard Jenkins, no papel de um amargurado texano à procura de sua própria redenção.

    Comer Rezar Amar termina em Bali, local responsável por alguns dos melhores momentos de – inadvertido – humor: é um desastre cômico o personagem de Javier Barden, interpretando o brasileiro Felipe, tentando falar algumas palavras em português (com direito a João Gilberto e Vinícius de Moraes na trilha sonora). Será que o Rodrigo Santoro não estava disponível?

    De qualquer maneira, Comer Rezar Amar é um filme que entrega exatamente o que promete, principalmente ao público feminino, que certamente se identificará em vários pontos com Elizabeth Gilbert. Ainda que seja discutível a premissa básica da história, que uma mulher só é completamente feliz ao lado de um homem.

    Discussões feministas à parte, trata-se de um filme que termina com a cena de um barco navegando rumo ao pôr do sol. Prepare-se para isso…

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus