poster do filme Como treinar seu dragão 3

COMO TREINAR O SEU DRAGÃO 3

(How to Train Your Dragon: The Hidden World)

2019 , 94 MIN.

Gênero: Animação

Estréia: 17/01/2019

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Dean DeBlois

    Equipe técnica

    Roteiro: Cressida Cowell, Dean DeBlois

    Produção: Bonnie Arnold, Brad Lewis, Doug Davison, Kate Spencer, Michael A. Connolly, Roy Lee

    Fotografia: Gil Zimmerman

    Trilha Sonora: John Powell

    Estúdio: DreamWorks Animation, Mad Hatter Entertainment

    Distribuidora: Universal

    Elenco

    AJ Kane, America Ferrera, Cate Blanchett, Christopher Mintz-Plasse, Craig Ferguson, Djimon Hounsou, F. Murray Abrahams, Gerard Butler, Jay Baruchel, Jonah Hill, Kit Harington, Kristen Wiig, T.J. Miller

  • Crítica

    16/01/2019 16h12

    Por Daniel Reininger

    Como Treinar O Seu Dragão, da DreamWorks, é uma das animações mais divertidas já feitas. Uma das poucas que permitiu a seus heróis, Vikings que aprenderam a conviver com as criaturas que eles mais temiam, crescerem e evoluírem, lidando com questões da vida que todos enfrentamos. Não é à toa que essa franquia possui um dos melhores arcos de personagens das animações e o terceiro longa fecha a história de Banguela e Soluço de uma forma perfeita, coroando 10 anos de uma amizade emocionante numa franquia simplesmente incrível.

    Caso você não lembre, Soluço era adolescente desajeitado, que se tornou líder viking confiante da ilha de Berk. Ele não teria feito isso tudo sem Banguela, o dragão Fúria da noite que mais parece um cachorrinho, fiel e amistoso e sempre ao seu lado. Já Banguela evoluiu de um animal ferido e perdido, ao rei dos Dragões e criatura fascinante, temida e amada. E a relação dos protagonistas também mudou com o tempo, afinal, nada continua igual para sempre.

    Como Treinar O Seu Dragão 3 captura todo o peso emocional de mais de uma década de amizade e companheirismo. Acompanhamos a perda dos pais, a descoberta de outro, início deu um romance, difíceis decisões e dois amigos aprendendo várias lições importantes de bravura e lealdade ao longo do caminho, que moldariam suas personalidades e o futuro de seus povos.

    Dessa vez, a Dreamworks apresenta um dragão fêmea chamada de Fúria da Luz, nome dado por Astrid, par romântico de Soluço. O interesse romântico de Banguela introduz novos conflitos na amizade dos protagonistas e cria novas situações para a dupla.

    Mas isso não é tudo, a comunidade de Berk tem sofrido com caçadores de dragões e um novo vilão, Grimmel, está determinado a caçar e exterminar todos os Fúrias da Noite e resolve entrar em ação contra os Vikings. Essa trama garante algumas boas cenas de combate medieval capazes de alegar o público mais velho, mas o enredo dos caçadores se torna bastante desnecessário e serve apenas para vermos Soluço com sua armadura de escamas de dragão e sua espada flamejante. É legal? É, mas o que torna essa franquia realmente especial é a relação dos personagens.

    Até por saber bem disso, a obra usa bem o elenco de apoio. Astrid é uma baita companheira para Soluço, o romance dos dois foi bem desenvolvido no segundo filme, mas chega a maturidade de forma interessante nesse longa. Os amigos deles são um bom alívio cômico, enquanto a mãe do herói é a mentora sempre presente, mas capaz de deixar o rapaz seguir seu próprio destino. Todos se parecem com pessoas reais e fica claro que não vivem apenas para reforçar as características dos protagonistas, como tantas histórias fazem de maneira errada. Aqui, cada um dos personagens tem vida própria e é isso que esperamos ver em qualquer narrativa.

    Já no lado dos vilões, Grimmel representa uma melhoria em relação senhor da guerra do segundo longa, mas ainda não consegue lidar com as questões morais que vimos no primeiro filme. Charmoso e inteligente, cheio de artimanhas e com um discurso inflamado, o antagonista perde um pouco sua força por não ter tido a oportunidade de influenciar nenhum dos companheiros de Soluço. A trana ganharia muito se o vilão conseguisse convencer alguns dos parceiros do protagonista que seu ponto de vista faz sentido. No fim, ele serve apenas para as cenas de batalha existirem.

    E claro, tecnicamente o filme é magnífico. Visual inspirado, cenários lindos, dragões e Vikings bem desenhados e até a trilha sonora funciona bem. A evolução na animação é óbvia, mas o que encanta mesmo é a criatividade e beleza do Mundo Escondido. Pena que esse local mágico aparece menos do que poderia. Se você já achava os filmes anteriores lindos, precisa ver o que a Dreamworks preparou para esse!

    Como Treinar O Seu Dragão 3 encerra uma trilogia maravilhosa de forma muito especial, capaz de emocionar e divertir, com temáticas adultas e infantis bem balanceadas, leveza quando necessário e um peso emocional inesperado para uma animação, mas isso só acontece quando é realmente preciso. Mesmo quem não acompanha essa história vai ter muitas oportunidades de amar esse longa. E para você que, como eu, acompanha essa amizade desde o início e passou a amar esses personagens, o filme é simplesmente um presente, então aproveite e vá ao cinema curtir essa aventura incrível.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus