Pôster de Confia em Mim

CONFIA EM MIM

(Confia em Mim)

2013 , 90 MIN.

12 anos

Gênero: Drama

Estréia: 10/04/2014

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Michel Tikhomiroff

    Equipe técnica

    Roteiro: Fabio Danesi

    Produção: Gil Ribeiro, João Daniel Tikhomiroff, Michel Tikhomiroff, Vicente Amorim

    Fotografia: Rodrigo Monte

    Trilha Sonora: Rica Amabis

    Estúdio: Globo Filmes, Mixer

    Montador: Gustavo Giani

    Distribuidora: Downtown Filmes, Paris Filmes

    Elenco

    Antonio Saboia, Bruno Giordano, Fernanda D`Umbra, Fernanda Machado, Geraldo Rodrigues, Mateus Solano

  • Crítica

    07/04/2014 20h00

    Em quantas madrugadas insones, zapeando a TV, já não cruzamos a história em algum filme preenchendo buraco na grade de programação: mulher conhece homem dos sonhos e com o desenrolar da trama descobre que o príncipe encantado pode ser lobo em pele de cordeiro. Confia em Mim, do estreante Michel Tikhomiroff, é uma versão brasileira da familiar trama.

    Entre erros e acertos, o filme tem um mérito que se percebe logo de cara. Os personagens, situações e diálogos não tentam emular os análogos americanos, o que seria um erro grosseiro. O roteiro de Fábio Danesi prender o espectador à história logo nos 15 minutos iniciais, sem complicações. O básico é resolvido de forma rápida: ficamos interessados em saber qual será o desfecho da história da aspirante a chef de cozinha Mari (Fernanda Machado) e o empresário Caio (Mateus Solano).

    Mari é uma cozinheira talentosa que trabalha como subchefe num restaurante. Apesar das habilidades incontestáveis da moça, seu chefe Edgar (Fabio Herford) refuta suas aptidões por pura inveja. Deprimida depois de ter um prato desprezado, ela é convidada pela amiga Teresa (Fernanda D'Umbra) a participar de uma degustação de vinho. No local é abordada pelo charmoso Caio, que com muita lábia e simpatia vai conquistando a bela aos poucos.

    Não demora muito e a apaixonada Mari está fazendo um mil-folhas para Caio, doce que revela à amiga Teresa que só faria para o homem de sua vida - já que dá muito trabalho. E não à toa ela está caidinha por Caio. Além de gentil, bonito e bom de cama, ele a incentiva a abrir seu próprio restaurante. Atrás do sonho, Mari toma coragem de pedir um empréstimo à mãe, com que tem uma relação conflituosa.

    O que segue o espectador vai descobrir vendo o filme. Basta saber que talvez Caio não merecesse o mil-folhas. Quem sabe só umas "balinhas" – e para entender a piada é preciso ver a produção.

    O grande problema de Confia em Mim está na execução instável. Michel Tikhomiroff consegue fazer algumas sequências funcionarem bem, chega a criar bons climas de tensão em certos momentos, para em seguida colocar tudo a perder com cenas mal executadas. A que envolve uma campana policial no Jockey Club chega a ser incômoda de tão tacanha.

    O realizadores brasileiros atuais estão ensaiando se aventurar no cinema de gênero e isso é muito bem-vindo. Tikhomiroff quis fazer tão somente um thriller psicológico sem grandes pretensões e foi o que fez. Precisava apenas ter estudado mais as nuances do modelo e ter imposto sua personalidade no filme. Confia em Mim carece da identidade do diretor e harmonia, e isso faz falta mesmo que a intensão seja só entreter.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus