CONFIDENCIAL

CONFIDENCIAL

(Infamous)

2006 , 110 MIN.

Gênero: Drama

Estréia: 01/06/2007

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Douglas McGrath

    Equipe técnica

    Roteiro: Douglas McGrath

    Produção: Anne Walker-Mcbay, Christine Vachon, Jocelyn Hayes, Sidney Kimmel

    Fotografia: Bruno Delbonnel

    Trilha Sonora: Rachel Portman

    Elenco

    Daniel Craig, Gwyneth Paltrow, Hope Davis, Isabella Rossellini, Jeff Daniels, Juliet Stevenson, Lee Pace, Peter Bogdanovich, Sandra Bullock, Sigourney Weaver, Toby Jones

  • Crítica

    01/06/2007 00h00

    Esta é uma das belezas da arte em geral e do cinema em particular: contar duas vezes a mesma história com estilos, enfoques e pontos de vista diferentes. O espectador mais distraído que tomar contato apenas com as sinopses de Confidencial e Capote, pode até pensar que se trata do mesmo filme. Afinal, ambos falam da mesma trama: a saga emocional pela qual passa o escritor Truman Capote quando decide pesquisar a fundo um assassinato ocorrido no interior do país e, a partir disso, escrever seu livro A Sangue Frio. Porém, as semelhanças param aí.

    Enquanto o premiado Capote é um produto mais voltado à milionária indústria cinematográfica, o independente Confidencial é mais visceral e faz menos concessões. Financeiramente, os filmes são opostos: o sucesso Capote custou em torno de US$ 7 milhões e rendeu mais que o quádruplo deste valor somente nas bilheterias americanas; o fracassado Confidencial custou estimados US$ 13 milhões e não faturou nem 10% deste valor. Fechando o círculo de comparações, ainda que contando a mesma história, Capote é baseado no livro Geraldo Clarke, enquanto Confidencial se apoiou no livro de George Plimpton. Ah, em tempo: cada um a seu modo, ambos os filmes são ótimos.

    Confidencial aposta num Truman Capote mais espalhafatoso e muito menos contido que aquele interpretado por Phillip Seymour Hoffmann. Aqui, o papel é do inglês Toby Jones, presente quase sempre em papéis coadjuvantes, mas que dá vida, humor e muita sensibilidade ao personagem. Freqüentador dos mais sofisticados ambientes nova-iorquinos, certo dia a atenção de Capote é atraída por uma pequena notícia de jornal relatando um chocante assassinato acontecido no Kansas. Fascinado pela história, ele convence sua amiga e também escritora Nelle Harper Lee (Sandra Bullock) a acompanhá-lo até aquele "fim de mundo" para fazer uma pesquisa que renderia uma reportagem na revista The New Yorker. É lá que tudo muda na vida do famoso escritor. De alguma maneira, Capote encontra no coração empoeirado da América, na figura de um desumano criminoso, o espelho perfeito das próprias frustrações, traumas e contradições pelas quais passou durante toda a vida.

    O filme é belíssimo. Seu estilo narrativo muda e amadurece na medida em que seu personagem principal também se transforma. Num primeiro momento, eles - filme e protagonista - são deliciosamente fúteis e divertidos. Quase toda a ação se passa em mesas de requintados bares e restaurantes, com rápidos e inteligentes diálogos entrecortados que nos dão vontade de comprar o roteiro só para lê-los novamente. Porém, quanto mais Capote mergulha no tétrico universo do crime que pesquisa, mais ele se vê obrigado a se confrontar com seus demônios internos que julgava adormecidos. E o próprio filme assume um tom mais denso e dramático. A entrada em cena de Daniel Craig, o novo James Bond, já na segunda metade da trama, é de uma fortíssima carga dramática e faz o filme crescer ainda mais: o ator parece ter saído diretamente de um dos grandes dramas de prisão que Hollywood produzia nos anos 40. O elenco de apoio também chama a atenção, com nomes como Sigourney Weaver, Gwyneth Paltrow, Peter Bogdanovich, Alan Cumming, Jeff Daniels, Isabella Rossellini e Hope Davis.

    Tudo isso faz de Confidencial um emocionante trabalho sobre as relações entre o autor e sua obra. Mas há muitas outras leituras a serem descobertas neste fascinante filme, a ser descoberto por um público maior.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus