CONTÁGIO

CONTÁGIO

(Contagion)

2011 , 106 MIN.

12 anos

Gênero: Ação

Estréia: 28/10/2011

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Steven Soderbergh

    Equipe técnica

    Roteiro: Scott Z. Burns

    Produção: Gregory Jacobs, Michael Shamberg, Stacey Sher

    Fotografia: Steven Soderbergh

    Trilha Sonora: Cliff Martinez

    Estúdio: Double Feature Films, Imagenation Abu Dhabi FZ, Participant Media, Regency Enterprises, Warner Bros. Pictures

    Distribuidora: Warner Bros

    Elenco

    Ahmed Boulane, Alexander Sofiyev, Andrew White, Anna Jacoby-Heron, Annabel Armour, Armin Rohde, Blair Robertson, Brian J. O'Donnell, Bryan Cranston, Chin Han, Dan Aho, Dan Flannery, Dan Sanders-Joyce, Daria Strokous, David Lively, Demetri Martin, Elliott Gould, Enrico Colantoni, Grace Rex, Griffin Kane, Gwyneth Paltrow, Hee-Wan Kwon, Howie Johnson, Ira Blumen, Iris Kohl, Jason Babinsky, Jennifer Ehle, Jim Ortlieb, Jimmy Chung, John Hawkes, John Hines, John Hoogenakker, Joseph Anthony Foronda, Josh Pollock, Joshua Rollins, Joshua Seiden, Joshua Weinstein, Josie Ho, Jude Law, Kara Zediker, Kate Winslet, Kumi Yoshida, Kwok-Wah Wong, Larry Clarke, Laura Fisher, Laurence Fishburne, Marion Cotillard, Mark Czoske, Mary Beth Dolan, Mary Jo Faraci, Matt Damon, Monique Gabriela Curnen, Pete Kelly, Pete Sack, Phil Tang, Phillip James Brannon, Randy Lowell, Rebecca Spence, Rick Uecker, Robert Chi, Sanaa Lathan, Sanjay Gupta, Sarah Charipar, Sarah Kliban, Sau-Ming Tsang, Scott Stangland, Shannon Edwards, Stef Tovar, Sue Redman, Tara Mallen, Teri Campbell, Teri McEvoy, Thomas Gebbia, Tien You Chui, Yoshiaki Kobayashi

  • Crítica

    27/10/2011 15h00

    Ao assistir a Contágio, nota-se claramente a intenção de Steven Soderbergh de fazer um novo Traffic. Neste, personagens realistas em tramas paralelas desenham um panorama do tráfico de drogas nos Estados Unidos. Em Contágio, Soderbergh usa a mesma técnica multiplot para mostrar o que aconteceria se um vírus mortal causasse uma epidemia global. O problema, no caso, é que o filme não apresenta a regularidade de Traffic nem uma curva dramática sólida. É como um avião a taxiar na pista sem nunca decolar.

    A produção carece de investimento emocional e assemelha-se a um desses documentários que assistimos no Discovery Channel. Retrata um surto viral com potencial para acabar com a humanidade, mas é surpreendentemente sem suspense ou emoção. Tudo parece servir ao propósito único de mostrar quão importantes são para a humanidade os órgãos de controle de epidemias do governo americano. Não à toa, fiquei surpreso ao ler por aí que Contágio é um "filme de terror inteligente", um thriller. Pura bobagem. Soderbergh ainda engana muita gente. A mim, não.

    O filme começa com a personagem interpretada por Gwyneth Paltrow voltando de uma viagem a Hong Kong. Antes de voltar para o marido (Matt Dammon), faz uma breve escala em Chicago para visitar um antigo namorado. Ao chegar em casa apresenta sintomas do que parece ser uma gripe. Um dia depois é levada às pressas para o hospital tendo convulsões. Minutos depois é declarada morta.

    A partir daí o filme passa a se concentrar num grupo de cientista tentando encontrar uma maneira de neutralizar o vírus, enquanto a doença faz inúmeras vítimas em todo o mundo e a histeria toma conta da população.

    Paralelamente, temos algumas tramas pouco críveis - como a do repórter de caráter duvidoso (Jude Law), que usa seu blog para liderar uma revolta popular - e outras mal resolvidas, como a de um grupo de chineses que sequestra uma funcionária da ONU para conseguir vacinas.

    Contágio tenta ser diferente, mas é um filme sem identidade. As diversas tramas são mal alinhavadas e o roteiro peca em dar espaço a pequenas histórias que não acrescentam nada. Um filme sem emoção e sem reflexão. Soderbergh reunindo seus famosos amigos a troco de nada.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus