CORRENTE DO MAL

CORRENTE DO MAL

(It Follows)

2014 , 100 MIN.

14 anos

Gênero: Terror

Estréia: 27/08/2015

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • David Robert Mitchell

    Equipe técnica

    Roteiro: David Robert Mitchell

    Produção: David Kaplan, Erik Rommesmo, Laura D. Smith, Rebecca Green

    Fotografia: Mike Gioulakis

    Trilha Sonora: Rich Vreeland

    Estúdio: Animal Kingdom, Northern Lights Films

    Montador: Julio Perez IV

    Distribuidora: Califórnia Filmes

    Elenco

    Bailey Spry, Carollette Phillips, Charles Gertner, Daniel Zovatto, Debbie Williams, Jake Weary, Keir Gilchrist, Leisa Pulido, Lili Sepe, Linda Boston, Loren Bass, Maika Monroe, Olivia Luccardi, Ruby Harris

  • Crítica

    26/08/2015 11h55

    O primeiro passo para um bom filme de suspense é uma premissa com criatividade. Nesse sentido, Corrente Do Mal traz um vilão inusitado e uma dinâmica que é ao mesmo tempo única e familiar.

    O longa acompanha a jovem Jay (Maika Monroe), que está em um relacionamento com Hugh (Jake Weary). O casal sai para namorar e tem sua primeira noite de sexo. Em seguida, Jay se vê presa a uma cadeira e o rapaz explica a maldição que acabou de passar a ela: a partir de agora, uma entidade invisível aos outros a seguirá. Aos olhos dos infectados, o ser parece uma pessoa, mas pode adotar a forma de diversos seres humanos de idades, tamanhos e gêneros diferentes.

    Enquanto isso, Jay também é informada de que terá de permanecer sempre alerta, uma vez que só há dois desfechos possíveis: ou a entidade a mata de forma sangrenta e volta a perseguir Hugh, ou a moça tem relações sexuais com outra pessoa e passa a sina adiante. Não demora para a protagonista perceber que a perseguição sobrenatural é real e ameaçadora. Ela se une a alguns amigos para tentar achar uma solução e entender melhor o problema.

    Com a premissa criativa garantida, Corrente do Mal ganha ainda mais personalidade ao apostar em um suspense à moda antiga. A entidade caminha lentamente, como os assassinos de filmes de décadas passadas. A tensão é construída pela movimentação da câmera e o objetivo não é causar sustos gratuitos, como os atuais títulos do gênero costumam fazer. Assim, a produção consegue sustentar uma atmosfera de tensão que deixa o espectador na beira da poltrona.

    O ar antiquado se reafirma com uma trilha marcante, que flerta com os primórdios da música eletrônica. As peças são quase cafonas, mas funcionam para o conjunto de opções que o filme apresenta.

    Finalmente, há um rico subtexto em Corrente do Mal. Além da óbvia aproximação das doenças sexualmente transmissíveis com o funcionamento da maldição que assola a personagem principal, o roteiro resvala em outras questões delicadas que estão relacionadas à adolescência, como bullying, isolamento ou o uso de drogas. Tais tópicos são aludidos em detalhes de cena, que sinalizam para uma proposta narrativa ampla e madura.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus