De Volta ao Jogo

JOHN WICK: DE VOLTA AO JOGO

(John Wick)

2014 , 96 MIN.

16 anos

Gênero: Ação

Estréia: 27/11/2014

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Chad Stahelski, David Leitch

    Equipe técnica

    Roteiro: Derek Kolstad

    Produção: Chad Stahelski, Chris Chasey, David Leitch, Eva Longoria, Mike Witherill

    Fotografia: Jonathan Sela

    Trilha Sonora: Joel J. Richard, Tyler Bates

    Estúdio: Company Films, Huayi Brothers Media, MJW Films, Rocket Science VFX

    Montador: Elísabet Ronaldsdóttir

    Distribuidora: Imagem Filmes

    Elenco

    Adrianne Palicki, Alex Ziwak, Alfie Allen, Bridget Moynahan, Bridget Regan, Chris Chasey, Courtney Sanello, Daniel Bernhardt, David Patrick Kelly, Dean Winters, Elizabeth Saint, Ian McShane, Jason Isaacs, John Leguizamo, Karen Nazarov, Keanu Reeves, Keith Jardine, Kevin Nash, Lance Reddick, Lysane Sanchez, Mack Kuhr, Marija Skangale, Michael Nyqvist, Naeem Uzimann, Natalia Kiriya, Omer Barnea, Randall Duk Kim, Roman Mitichyan, Stefanie Bari, Tait Fletcher, Toby Leonard Moore, Tommy Bayiokos, Willem Dafoe, William Andrew Brewer

  • Crítica

    23/11/2014 19h12

    É inegável: De Volta ao Jogo é um filme que honra o que há de melhor nos filmes de ação. O personagem descerebrado e implacável é a base de um roteiro ágil e enxuto, mas no filme dirigido pela dupla Chad Stahelski e David Leitchem, não é a única atração.

    Inspirado, o longa aposta na ironia, em um fino humor que dialoga com os principais representantes do gênero, a começar pela construção do seu personagem mais importante. Ele é John Wick, ex-assassino de aluguel que sai da aposentadoria para ir atrás dos gângsters que lhe tiraram tudo o que tinha, e traz em si todos os estereótipos dos personagens que crescemos vendo justificar os fins pelos seus meios.

    Quem constrói tal clichê é Keanu Reeves e seus trejeitos e expressões contestáveis que sempre caracterizaram os principais trabalhos de sua filmografia. Pop até o osso, o filme não tem qualquer preocupação em ser "acreditável", algo que a presença de Reeves parece comprovar a cada cena. Está aqui ao mesmo tempo um filme de gênero inspirado e uma farsa construída diante de nossos olhos.

    A consistência vem com as referências. Os vilões russos, a contravenção fácil e inexplicável, as muitas mortes sangrentas e exageradas, e um humor que parece confrontar o espectador, resultam em um longa que conquista um dos objetivos mais difíceis para filmes-pipoca: um entretenimento de fácil digestão.

    Há ainda atores confortáveis em seus papéis: Willem Dafoe, o sueco Michael Nyqvist, o sempre simpático John Leguizamo, Ian McShane e a jovem e sedutora Adrianne Palicki bebem de uma direção segura para construir personagens também esteeotipados, mas por vezes surpreendentemente engraçados.

    Chad Stahelski e David Leitch são dublês, contracenaram com Reeves em Matrix e sua experiência do outro lado das câmeras parece de grande ajuda na construção de sequências mirabolantes, momentos em que os fãs do gênero certamente encontrarão aquilo que esperam. Caso seja mais exigente, a sensação de deja vú e um certo tédio apareceram logo após os primeiros minutos - se essa não for a sua praia, não insista.

    De Volta ao Jogo tem tudo para se tornar o novo guilty pleasure dos fãs de filmes de ação. Toda a falta de cérebro aparece transmutada no estilo irresistível desta Nova York dominada por John Wick, quase um Chuck Norris de nosso tempo.



Deixe seu comentário
comments powered by Disqus