DEMON

DEMON

(Demon)

2015 , 94 MIN.

14 anos

Gênero: Terror

Estréia: 12/05/2016

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Marcin Wrona

    Equipe técnica

    Roteiro: Marcin Wrona, Pawel Maslona

    Produção: Marcin Wrona

    Fotografia: Pawel Flis

    Trilha Sonora: Marcin Macuk

    Estúdio: Telewizja Polska (TVP)

    Montador: Piotr Kmiecik

    Distribuidora: Supo Mungam Films

    Elenco

    Adam Woronowicz, Agnieszka Zulewska, Andrzej Grabowski, Anna Smolowik, Cezary Kosinski, Ireneusz Koziol, Itay Tiran, Katarzyna Gniewkowska, Katarzyna Herman, Maja Barelkowska, Marek Sawicki, Maria Debska, Piotr Domalewski, Tomasz Schuchardt, Tomasz Zietek, Wlodzimierz Press

  • Crítica

    11/05/2016 17h06

    Por Iara Vasconcelos

    Uma semana antes da exibição de Demon no Festival de Toronto, o diretor polonês Marcin Wrona foi encontrado morto em um quarto de hotel. Segundo a polícia, a suspeita é de suicídio. A tragédia só serviu para aumentar ainda mais o imaginário em torno do filme, que narra uma lenda do folclore judeu sobre o espírito perturbado de uma jovem.

    A princípio, a coprodução Polônia e Israel promete deixar de lado os estereótipos do terror norte-americano e adicionar traços da cultura eslávica à história. Entretanto, essa impressão não se concretiza à medida que o filme usa de clichês falhos para tentar assustar.

    A trama começa com o resgate em alto-mar de uma misteriosa mulher, que parece perturbada com algo, que não é explicado de imediato. Logo em seguida, somos apresentados aos personagens principais da história. Piotr (Itay Tiran) é um britânico que se muda definitivamente para a Polônia para se casar com sua amada Zaneta (Agnieszka Zulewska) e viver na casa herdada por ela, uma antiga construção isolada no meio da floresta. Na reforma, ele acaba encontrando uma ossada enterrada, a partir daí coisas estranhas começam a acontecer, mas o pior é que ninguém acredita em Piotr.

    O dia do casamento finalmente chega, mas Piotr está atormentado pelo espírito da jovem Hanna. Ele começa a agir estranhamente e todos sugerem que ele esteja embriagado, entretanto trata-se de possessão demoníaca.

    Enquanto Piotr se retorce no chão e braveja palavras aleatórias em línguas diferentes, o pai da noiva se preocupa em encher os convidados de bebida alcoólica, para que não vejam o estado do genro. Situação um tanto absurda e até cômica.

    Wrona falha em criar uma atmosfera verdadeiramente assustadora, assim como falha em manter o suspense nas cenas que antecedem a possessão. O ritmo arrastado – quase um pecado se tratando de um filme de terror – e a interrupção excessiva do clímax fazem o espectador se entediar rapidamente.

    Ainda assim, o maior erro do longa está em sua conclusão preguiçosa e sem impacto algum. Demon tem o gosto amargo de uma promessa não cumprida.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus