DEU A LOUCA NA CHAPEUZINHO 2

DEU A LOUCA NA CHAPEUZINHO 2

(Hoodwinked Too! Hood VS. Evil)

2011 , 86 MIN.

Gênero: Animação

Estréia: 02/09/2011

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Mike Disa

    Equipe técnica

    Roteiro: Cory Edwards, Mike Disa, Todd Edwards, Tony Leech

    Produção: Joan Collins Carey, Maurice Kanbar

    Trilha Sonora: Murray Gold, Tom Keane

    Estúdio: HW Two, Kanbar Entertainment, The, Weinstein Company

    Distribuidora: Imagem Filmes

    Elenco

    Bill Hader, Cheech Marin, David Ogden Stiers, Glenn Close, Hayden Panettiere, Joan Cusack, Patrick Warburton

  • Crítica

    01/09/2011 14h44

    Seis anos após o primeiro e bem-sucedido Deu a Louca na Chapeuzinho, chega agora aos cinemas uma continuação bem menos inspirada. Da primeira aventura para esta, muita coisa mudou. O sapo/detetive do primeiro filme agora comanda a HEA – Happy Endings Always, uma agência tipo CIA responsável para que todas as histórias tenham finais felizes (acho que já vi isso em outro desenho...). O Lobo e a Vovozinha trabalham para ele. E Chapeuzinho virou uma espécie de superagente secreta ninja que vai tentar desvendar o mistério de uma irmandade que controla o poder de uma super receita, igualmente secreta. Não é mole não.

    Na medida em que todos os personagens do primeiro filme foram descaracterizados, a graça original, que era exatamente a desconstrução do padrão clássico, vai por água abaixo. O que vemos é apenas uma aventura cômica de espionagem, que poderia ser vivida por qualquer personagem – clássico ou moderno – e que se dilui totalmente no momento em que os padrões do estereótipo original são, de uma forma sem sentido, desmontados.

    Shrek já havia caído exatamente no mesmo erro: criado para ser o anti-herói com a missão de desconstruir o molde padrão, ele é eficiente e divertido em sua primeira aventura, para logo na sequência, ao se transformar ele próprio em padrão, deixar esmaecer toda a ironia e o poder de crítica que o construíram. O chamado tiro no pé.

    Com um agravante: Deu a Louca na Chapeuzinho 2 apresenta um traço menos elaborado e uma animação mais dura que o primeiro filme, apesar dos anos de evolução tecnológica que os separam.

    Sobram apenas uma diversão de bom ritmo, muita agitação para as crianças, e brincadeiras referenciais a vários filmes – de Psicose a Kill Bill – para entreter os adultos. Longe do brilho do primeiro episódio.


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus