DEU A LOUCA NOS ASTROS

DEU A LOUCA NOS ASTROS

(State and Main)

2000 , 104 MIN.

12 anos

Gênero: Comédia

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • David Mamet

    Equipe técnica

    Roteiro: David Mamet

    Produção: Sarah Green

    Fotografia: Oliver Stapleton

    Trilha Sonora: Theodore Shapiro

    Elenco

    Alec Baldwin, Charles Durning, David Paymer, Julia Stiles, Patti LuPone, Rebecca Pidgeon, Sarah Jessica Parker, Willian H. Macy

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Vez por outra, os produtores e diretores de cinema se propõem a fazer uma auto-análise, realizando filmes críticos e satíricos contra a própria atividade cinematográfica. Cecil Bem Demente, de John Waters, é um dos exemplos mais recentes disso. Porém, poucas vezes estes mesmos produtores e diretores acertam tão bem o tom da crítica quanto em Deu a Louca dos Astros, um excelente filme com um ridículo título em português.

    A trama se inicia quando uma equipe de filmagem desembarca numa pequena e pacífica cidade do interior. A idéia é filmar ali o romance “O Velho Moinho”, já que os folhetos turísticos informam que nas imediações existe um moinho antigo e original, ideal para servir de locação. Em pouquíssimo tempo, a outrora tranqüila cidadezinha está de pernas para o ar. Todos querem participar das filmagens, o ator principal (Alec Baldwin) é acusado de abuso sexual, o teatrinho local é cancelado por falta de público e o prefeito (Charles Durning) se vê envolvido numa crise familiar. Como desgraça pouca é bobagem, o tal moinho dos folhetos turísticos já não existe mais.

    Deu a Louca nos Astros (que título infeliz!) é uma espécie de versão light de A Noite Americana, de François Truffaut. O filme esmiúça com sarcasmo e bom humor todos os detalhes de uma produção cinematográfica, incluindo o estrelismo do ator principal, a crise de identidade do roteirista (Phillip Seymor Hoffman), o desespero da atriz (Sarah Jessica Parker) que se recusa a filmar nua, a verba estourada e, principalmente, a habilidade do diretor (William H. Macy) em administrar toda esta loucura.

    O elenco é dos melhores, unindo novamente dois atores de grande destaque que estiveram juntos em Magnólia: Phillip Seymor Hoffman e William H. Macy.

    Deu a Louca nos Astros (poderia existir um título mais fora de propósito?) é uma comédia para um público refinado. Sarcástica, elegante, mordaz, inteligente. A anos-luz da escatologia moderna dos filmes de Adam Sandler ou dos irmãos Farrelly. Nem poderia ser diferente: afinal, a direção é do sempre sutil David Mamet, que desta forma se recupera da excessiva teatralidade do seu filme anterior, O Cadete Winslow.

    Quem gosta de cinema não pode perder.

    Em tempo: o título original, State and Main, se refere a um cruzamento de ruas que terá importância fundamental para a trama. É evidente que é difícil traduzir para o português... mas precisava ser Deu a Louca nos Astros?

    7 de maio de 2001
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rede Bandeirantes de Televisão, Canal 21, Band News e Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus