DIVINOS SEGREDOS

DIVINOS SEGREDOS

(Divine Secrets of the Ya-Ya Sisterhood)

2002 , 116 MIN.

12 anos

Gênero: Comédia

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Callie Khouri

    Equipe técnica

    Roteiro: Callie Khouri, Mark Andrus

    Produção: Bonnie Bruckheimer, Hunt Lowry

    Fotografia: John Bailey

    Trilha Sonora: David Mansfield

    Elenco

    Angus Macfadyen, Ashley Judd, Ellen Burstyn, Fionnula Flanagan, Jacqueline McKenzie, James Garner, Katy Selverstone, Kiersten Warren, Maggie Smith, Sandra Bullock, Shirley Knight

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Estréia neste final de semana nos cinemas brasileiros o repentino e inesperado sucesso Divinos Segredos, uma produção de US$ 27 milhões (considerada apenas "média" para os padrões norte-americanos), mas que já faturou duas vezes e meia o seu custo, só nas bilheterias dos Estados Unidos. Parte deste sucesso pode ser explicado pelo excelente elenco feminino; parte pode ser atribuído ao sempre palpitante tema do conflito entre mãe e filha.

    A história fala de Siddalee (Sandra Bullock), uma bem-sucedida dramaturga que está prestes a estrear uma nova peça em Nova York. Porém, uma matéria na revista Time joga alguma sujeira no ventilador de Siddalee, sugerindo que sua mãe (Ellen Burstyn, de Réquiem Para um Sonho e O Exorcista) seria neurótica e problemática. A história repercute na cidadezinha natal da dramaturga e a relação entre as duas explode. Para tentar colocar tudo em pratos limpos, a chamada "Irmandade Ya-Ya" entra em ação. São três velhas amigas (Fionnula Flanagan, Shirley Knight e Maggie Smith) que acreditam que a melhor maneira de acertar todos os ponteiros é fazer com que Siddalee conheça a fundo todos os problemas que sua mãe viveu, no passado.

    A maior curiosidade do filme fica por conta de sua diretora: estreando na função, Callie Khouri, roteirista e produtora do grande sucesso Thelma & Louise, não faz feio neste seu debut. Misturando comédia com drama familiar, Callie consegue divertir e emocionar ao mesmo tempo. Divinos Segredos pode não ser nenhuma obra-prima, mas traz alguns bons momentos que merecem ser conferidos. Principalmente por mães e filhas.

    11 de setembro de 2002
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus